Três títulos são entregues em tarde de homenagens na Câmara Municipal de Botucatu

Foi uma tarde especial na Câmara Municipal de Botucatu. Em função das restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus, em um evento singelo o vereador Carlos Trigo realizou na tarde desta terça-feira, 08 de dezembro, a entrega de três honrarias de sua autoria. Confira as fotos e conheça um pouco mais dos homenageados.

Marcelino Dias recebe título de “botucatuense emérito”

O primeiro a ser homenageado neste 8 de dezembro foi o fotógrafo Marcelino Dias de Almeida, com o título de Botucatuense Emérito. Marcelino iniciou sua carreira aos 13 anos, na antiga Loja Foto Novaes e tornou-se profissional quando fotografou seu primeiro casamento, aos 15 anos de idade. Trabalhou também na extinta foto Botucatu, Jet color e Foto Rocha e por seis anos foi proprietário do Foto Dias na cidade de Bofete, terra natal de sua mãe.

É casado com Silvana Fatima dos Santos Dias de Almeida e desta união conta com três filhos: Ivan, Natália e Victor.

Há mais de quatro décadas ele eterniza lugares e momentos da história de Botucatu. Já desenvolveu um guia turístico, duas edições do livro imagens de Botucatu e vários postais. Seu mais recente trabalho é a coleção de postal intitulada “Botucatu Terra do Meu coração”, que reúne imagens que mostram as belezas naturais, históricas, arquitetônicas e turísticas do município.  Também realizou várias exposições fotográficas, sendo a mais importante a exposição Imagens de uma História, onde por meio de imagens faz um comparativo entre ontem e hoje.

Outra marca importante de sua trajetória é sua passagem pela imprensa local. Trabalhou nos jornais A Cidade, Correio da Serra e posteriormente no Diário da Serra, Revista Vitrine, Jornal Primeira Página e Jornal Mais Botucatu. Por três anos editou a revista Registrando – voltada à cobertura de eventos sociais e, posteriormente, de corridas de ruas e Trail Run da cidade, e também a revista Registrando Noivas, dedicada aos casais em preparação ao matrimônio. Por um longo período trabalhou em parceria com a empresa Lourenço Alves fotografia na cobertura de casamentos.

 

“Honra ao Mérito” ao músico João Carlos Alva Balestrin

João Carlos Alva Balestrin é natural de Botucatu e começou sua carreira como músico aos 12 anos de idade. As primeiras notas musicais aprendeu com seu pai, Luiz Carlos Balestrin, que tinha um acordeom.

O jovem se desenvolveu com mais profissionalismo frequentando aulas com o senhor Luiz Guerreiro, por quem nutre muito respeito e carinho.

Tocou com duplas como André e Adriano e também participou da banda de forró “Fuá no Fole”, que obteve muito sucesso em Botucatu e região. Com seu irmão José Luiz Alva Balestrin, o músico montou a dupla “André Luiz e Felipe” e, por onde passa, faz questão de divulgar o nome de sua família e do município de Botucatu. Exalta a cidade que também é considerada um dos “berços da música sertaneja de raiz” e na qual grandes nomes artísticos iniciaram suas carreiras, como: Raul Torres, Angelino de Oliveira, Serrinha, Tinoco e Zé da Estrada, botucatuenses natos que alcançaram sucesso e reconhecimento nacional em suas carreiras.

Mas o ponto alto da carreira desse botucatuense veio quando foi escolhido para acompanhar a famosa dupla César Menotti e Fabiano, trabalho que realizou por vários anos e que rendeu participação em turnês por todos os estados brasileiros e por países como Paraguai, Argentina, Estados Unidos, Itália, Portugal e Espanha. À homenagem na Câmara, inclusive, ele não pôde comparecer porque está em viagem de trabalho. Quem recebeu o diploma de “Honra ao Mérito” das mãos do vereador Carlos Trigo foram seus pais, Luiz Carlos e Cristina Aparecida Alva Balestrin.

 

Conceição Nunes da Silva Pilan agora é oficialmente “cidadã botucatuense”

A senhora Conceição Nunes da Silva Pilan nasceu em 22 de julho de 1947, na cidade de Cândido Mota, estado de São Paulo. Filha de José Nunes da Silva e Lourdes Leite da Silva, a primogênita foi carinhosamente apelidada de “Tata”.

Em função do trabalho de seu pai, que era Policial Militar, a família morou em várias cidades do estado. Tata iniciou sua carreira estudantil na cidade de Avaré, onde estudou até o terceiro ano do curso primário. Começou a trabalhar aos 12 anos de idade e muito cedo conheceu a importância do trabalho.

Foi aqui em Botucatu que Conceição prosseguiu os estudos: no Grupo Escolar “José Gomes Pinheiro”, na Escola Estadual “Dr. Cardoso de Almeida” e por último no curso de Contabilidade do SENAC.

Em 1964 conheceu o senhor Clarindo Pilan, com quem acabou se casando na década de 70. Dessa união nasceram Jorge Alfredo Pilan e Anderson Luiz Pilan.

Em 1974, o casal inaugurou a “Auto Moto Escola Fórmula 1”, situada na Avenida Floriano Peixoto. Posteriormente, os serviços oferecidos foram ampliados, incluindo agora o “Despachante Policial Fórmula 1”.

Atentos com a arte de ensinar a dirigir, o casal Pilan também executava trabalhos de educação de trânsito nas escolas municipais e organizava campanhas no “Dia Nacional do Trânsito”, com a entrega de apostilas e panfletos para os alunos.

Dona de um enorme coração, em certas ocasiões senhora Conceição não cobrava pelos serviços prestados para aqueles que necessitavam da Carteira Nacional de Habilitação para o trabalho profissional como motoristas. Além disso, junto com seu marido, entregava às famílias carentes do município os produtos não perecíveis que eram arrecadados pelo time de futebol amador “Botucatu Atlético Clube”, cujo diretor era o senhor Clarindo. Contribuíram assim com muitas pessoas carentes, fazendo suas doações de medicamentos e cestas básicas.

Em 1984, Conceição ficou viúva e assumiu a direção da Autoescola e do Despachante até 2015. Três anos depois casou-se com o senhor Paulo Sérgio Bardella, com quem compartilha a vida até hoje.

Encerrou as suas atividades profissionais em dezembro de 2018 para se dedicar a outras oportunidades que a vida apresenta, como tornar-se aluna na faculdade de Gestão Empresarial.

Por um “acidente” de percurso, a entrega do título de cidadã botucatuense à senhora Conceição acabou sendo feita em sua casa, de onde ela não pode sair em função de uma lesão na perna.