Setor de agências de viagens lidera queixas durante pandemia, indica Procon-SP

Entre meados de março e essa quinta-feira (14), a Secretaria Extraordinária de Defesa do Consumidor, o Procon-SP, registrou mais de 15 mil atendimentos de consumidores paulistas. O período compreende o avanço da pandemia de COVID-19, doença provocada pelo novo coronavírus, no estado. Do total de registros, 6 mil foram reclamações. Entre elas, o setor que recebeu mais queixas foi a de agências de viagens, com 3.231 reclamações.

Além das 6 mil queixas, o Procon-SP recebeu outros 9 mil registros, referentes a dúvidas, denúncias e pedidos de orientação de consumidores. Depois do setor de agências de viagens, as companhias áreas receberam o maior volume de reclamações (1.573). Os consumidores também registraram queixas contra farmácias/lojas/mercados (682), instituições financeiras (477), ingressos e eventos (126), programas de fidelidade (87) e cruzeiros (67).

Denúncias

O Procon-SP recebeu 5.447 denúncias por meio de suas redes sociais. A maioria (3.300) foi relacionada à cobrança de preços abusivos de álcool em gel e gás de cozinha. A partir dessas denúncias, as equipes de fiscalização visitaram mais de 3 mil farmácias, supermercados, hipermercados, entre outros estabelecimentos de 188 cidades do Estado para apurar práticas abusivas.

Até o momento mais de R$ 3 milhões em multas foram aplicadas a fornecedores. O aumento injustificado de preços está em desacordo com o Código de Defesa do Consumidor, as fiscalizações continuam e os fornecedores que estiverem incorrendo nesta prática serão multados.

Denuncie

O Procon-SP disponibiliza canais de atendimentos à distância para receber denúncias, intermediar conflitos e orientar os consumidores: via internet (www.procon.sp.gov.br), aplicativo – disponível para Android e iOS – ou via redes sociais; para as denúncias, marque @proconsp, indicando o endereço ou site do estabelecimento.