São Manuel recebe o programa da Justiça de apadrinhamento afetivo

 

Vivian Ayres e Erica Regina Figueiredo falam sobre os benefícios para os ‘padrinhos’ e ‘afilhados’ (Foto TJ/SP)

A Comarca de São Manuel foi contemplada na última sexta-feira (25) com o programa de “apadrinhamento afetivo”. Por meio dele, crianças e adolescentes a partir de sete anos que se encontram em abrigos do município e região, com remotas perspectivas de adoção ou retorno à família biológica, passam a ter direito à convivência familiar e comunitária.

No programa, os jovens acolhidos têm a chance de criar laços com “padrinhos ou madrinhas”, voluntários que se dispõem a manter contato direto com o “afilhado”. Nesse caso, eles podem sair para atividades fora do abrigo, como passeios, festas de Natal e Páscoa, entre outras, vivenciando experiências que auxiliam no processo de valorização da autoestima.

Para aquelas pessoas que não têm tempo disponível, mas gostariam de participar do projeto de alguma forma, há a possibilidade de aderir aos chamados “apadrinhamentos financeiro e profissional”, destinados a apoiar projetos, cursos técnicos e de idiomas, entre outros, sem, necessariamente, criar vínculos afetivos com as crianças e adolescentes.

“Nossa ideia é fazer com que o projeto alcance o maior número de pessoas, despertando o interesse dos munícipes”, explica a juíza da 2.ª Vara de São Manuel e idealizadora do programa no município, Erica Regina Figueiredo.

A promotora de Justiça da Infância e Juventude da Comarca, Vivian Correa de Castro Pompermayer Ayres, também ressaltou a importância da participação da comunidade. “É uma experiência enriquecedora não só para as crianças, mas também para quem se torna um padrinho ou madrinha”, afirma.

RESULTADOS

A juíza Dora Aparecida Martins, que representou a Coordenadoria da Infância e Juventude do Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo, falou sobre os resultados do projeto de Apadrinhamento Afetivo na Capital, implantado quando ela atuava na Vara Central.

“Fizemos uma tentativa para resolver as dificuldades que temos em São Paulo e, nestes três anos e nove meses de trabalho, o resultado tem sido bastante positivo”, conta. “Todos nós precisamos de um olhar especial, um carinho individual que só a família fornece. O padrinho vem para cumprir esse papel”.

Para o prefeito de São Manuel, Ricardo Salaro Neto, o programa irá complementar ações em andamento no município. “Fui presidente de uma instituição de acolhimento e sei como é difícil o encaminhamento de uma criança com mais idade para a adoção”, revela.

Os interessados em participar do programa devem procurar o setor técnico da Comarca, que fica na rua Etore Targa, s/nº, no Centro, ou entrar em contato pelo telefone (14) 3842-1250.

Fonte: Jcnet