Sabesp assume compra de áreas que serão alagadas pela represa do Rio Pardo

 

Foto Prefeitura de Botucatu

A região de Botucatu deu nesta sexta-feira, dia 30, mais um importante passo para a construção da barragem do Rio Pardo. Reunidos na Prefeitura, os Prefeito de Botucatu, Mário Pardini e Pardinho, Dito Rocha assinaram com a Unidade de Negócios Médio Tietê a desapropriação de várias áreas que serão alagadas com a represa.

No total deste Decreto de Utilidade Pública são 14 matrículas (áreas) e 9 proprietários entre os dois municípios, sendo que a Sabesp assumirá a operação, ou seja, arcará com os custos das desapropriações. A partir de agora essas áreas entre Botucatu e Pardinho só poderão ser utilizadas pelo projeto da Barragem.

“A Sabesp reconhece a importância dessa obra e está trabalhando efetivamente para assumir e financiar represa. Neste ato de assinatura a Sabesp está entrando com os pagamentos das desapropriações dessas áreas”, disse Sandro Ramos, Gerente de Divisão da Unidade de Negócios Médio Tietê.

Além de ceder áreas para a inundação, é na cidade de Pardinho que nasce o Rio Pardo. O Prefeito de Pardinho, Dito Rocha, destacou a participação do município vizinho neste processo.

Pardini e Dito Rocha (Prefeito de Pardinho) Foto Acontece Botucatu

“Pardinho colaborou em todos os sentidos, pois somos cidades co-irmãs. Temos diariamente centenas de cidadãos de Pardinho que estudam e trabalham em Botucatu. Portanto, é uma satisfação ajudar nesse projeto visionário”, disse Dito Rocha.

A Barragem terá uma área total em sua estrutura de 319 hectares. Essa represa funcionará como um grande reservatório de água bruta no Rio Pardo.

“Me lembro que na crise hídrica de 2014, eu era Superintendente (Da Sabesp) e tive que intervir em 35 municípios que operávamos e outros tantos não operados, como Itu, onde o cenário era dramático. A situação de um colapso de falta de água paralisa uma cidade e Pardinho também viveu essa situação na crise, quando a cidade foi abastecida por caminhões da Sabesp e com a captação de poços profundos do laticínio Gege, após intervenção do Dito Rocha, que era o Prefeito de Pardinho. Então quem viveu esse drama sabe a importância dessa obra”, colocou Mario Pardini em parte de sua fala.

A participação da Sabesp no projeto deverá aumentar nos próximos meses. O Conselho de Administração da empresa vai discutir no dia 13 de dezembro a inclusão da represa do Rio Pardo no contrato que mantém com a cidade de Botucatu. Será colocado em votação um aditivo contratual para que a empresa possa assumir o financiamento da obra.

O pedido foi protocolado na tarde de terça-feira, dia 27, pelo Prefeito Mário Pardini e uma reunião na sede da entidade. O Chefe do Poder Executivo se reuniu para discutir o assunto a com a Presidente da Sabesp, Karla Bertocco. A reunião contou ainda com diretores da companhia e com o Superintendente de Unidade de Negócios Médio Tietê (Sabesp Botucatu), Maurício Tápia.