A reinvenção do microempreendedorismo em busca de sobrevivência na pandemia

Docente do Senac Botucatu fornece dicas estratégicas aos empresários que enfrentam uma luta diária para se manter no mercado

A pandemia de coronavírus tem afetado diversos negócios pelo país e o mundo, mas os microempreendedores são alguns dos que mais têm sentido o resultado da falta de circulação de pessoas e a consequente redução de consumo e faturamento. Para auxiliar esses profissionais nas tomadas de decisões estratégicas, Tamires Serrano, docente da área de gestão e negócios do Senac Botucatu, separou algumas dicas de como se reinventar e conseguir se manter ativo no mercado.

Cada segmento tem descoberto e utilizado diversas ferramentas na luta diária pela sobrevivência, umas já conhecidas e outras mais novas, que surgiram em razão da necessidade. A docente explica que é importante estar atento aos concorrentes, mas também a programas e instituições de apoio a empreendedores, como, por exemplo, Goma, Anpecom, Mulheres que Decidem e Instituto Feira Preta. Todos com acesso gratuito e on-line.
Também é possível recorrer ao mundo digital para o posicionamento de marcas e serviços e, especialmente, para geração de vendas. “É uma estratégia que tem trazido muitos resultados e pode ser aplicada em quase todos os modelos de negócios.”

Nesse âmbito, Tamires faz algumas orientações:

  • Canais de atendimento e comunicação como WhatsApp, Telegram, e-mail, Skype, Google Meet, Zoom, entre tantos outros, auxiliam o atendimento e a negociação com os clientes.
  • Importante ter aplicativos para vendas e exposição de produtos/serviços, como softwares próprios para e-commerce, ou plataformas para criação de loja on-line, como Nuvemshop, Wix, Magento; e ferramentas de vendas e divulgação de produtos e serviços como Mercado Livre, OLX, IFood, Aiqfome, Enjoei, GetNinjas, Workana, entre outras.
  • Vale a criação de perfis e contas corporativas dentro de redes sociais para facilitar a divulgação e o atendimento ao cliente, como Facebook, Instagram, YouTube e Linkedin.

Tamires também atenta para o fato de que pequenos negócios geralmente não possuem uma grande reserva financeira, o que agrava os momentos de crise. Então, o principal caminho ainda é o planejamento, pois agir sem direcionamento aos objetivos específicos pode complicar ainda mais a situação.

“Planejar faz com que o empresário determine as ações a serem realizadas e analise seu cenário a partir da identificação de suas próprias características, o que leva ao reconhecimento das oportunidades e ameaças que permeiam seu negócio”, afirma a especialista.

O mais importante é que os microempreendedores não hajam por impulso nesse momento. Não é benéfico fazer algo só porque é uma tendência seguida pelo mercado. Tamires pontua que, “caso não consiga identificar o objetivo de uma ação, ou em que ela poderá resultar, é melhor repensar toda a estratégia, pois talvez esteja gastando muita energia em algo que provavelmente não trará resultados”.

Serviço:
Senac Botucatu
Local: Rua Dr. Rafael Sampaio, 85, Boa Vista – Botucatu/SP
Informações e inscrições: www.sp.senac.br/botucatu