Região de Botucatu registra pelo menos um novo caso de golpe por dia, diz delegado

Geral
Região de Botucatu registra pelo menos um novo caso de golpe por dia, diz delegado 09 outubro 2017

 

Delegado Seccional de Botucatu Antônio Soares da Costa Neto explica sobre a ação de criminosos na região (Foto: Gabriel Al-Lage / TV TEM)

A ocorrência de golpes tem chamado a atenção da Polícia Civil na região de Botucatu (SP). De acordo com o delegado seccional Antônio Soares da Costa Neto, o número de vítimas que denuncia esses crimes disparou, com pelo menos um novo boletim de ocorrência por dia.

O golpe mais comum, segundo a Polícia Civil, é quando o criminoso liga para a vítima se passando por algum parente e pede ajuda em dinheiro. Os golpistas ligam para diversos números até encontrar alguém para enganar. Em uma dessas tentativas, o estelionatário ligou até para o delegado.

“Eu atendi o telefone fixo. ‘Tio não está reconhecendo a voz do seu sobrinho querido’, dizia. Eles ficam forçando você a falar no nome. Acontece todos os dias esse tipo de golpe. Aquele golpe também que a pessoa recebe mensagem no celular dizendo que foi sorteado. Aí você acaba fazendo transferência bancária”, relata o delegado Antônio Soares da Costa Neto.

No caso dos golpes por telefone, a maioria das ligações feita aos moradores da região são de municípios do Mato Grosso e do Ceará. Outra modalidade comum, ainda de acordo com a polícia, tem como alvo as pessoas idosas.

Golpe em idosos foi flagrado por câmeras de segurança de estabelecimento (Foto: Reprodução / TV TEM)

Um flagrante de um golpe gravado pelo circuito interno de segurança mostra um casal que tinha acabado de sair do banco, em São Manuel. Nas imagens, os idosos entram na farmácia e na sequência um rapaz de camisa azul se aproxima e aponta para o lado de fora, e o casal sai.

O homem, na verdade, era um estelionatário. “Ele fingiu que era um funcionário do banco. Disse que a gente tinha derrubado um papel no banco e queria ver se o número conferia com o cartão. No momento em que mostramos o cartão, foi tão rápido que nem vimos. Quando vimos estava com ele o cartão”, explica a dona de casa Cleonice Aparecida Marcelino da Silva.

De calça jeans, sapato social, camisa, óculos, boa articulação na fala, crachá do banco e caneta no bolso. O aposentado José Gerônimo da Silva alega que se sentiu mal após ter o cartão furtado pelo golpista.

“A gente se sente constrangido porque no mundo que vivemos, a gente não sabe. O cara está bem vestido, bem empostado, com o cartão da Caixa”, relata o aposentado.

Ainda segundo o delegado seccional Antônio Soares da Costa Neto, a polícia tem conseguido chegar até os criminosos.

“Nós pegamos uma quadrilha aqui em Botucatu. Uns 10 elementos. Já vieram com carro, moto, GPS, e o cara acabou explicando para gente como eles chegam até as vítimas. Estava curioso para saber. Geralmente, pegam aleatoriamente qualquer número e ligam”, explica.

Para evitar cair em golpes, Costa Neto explica que a principal orientação é não tratar assuntos bancários por telefone e desconfiar sempre. A incidência de golpes em pessoas idosas se dá por conta de que, muitas vezes, são essas pessoas que possuem telefone fixo em casa como principal forma de comunicação.

Fonte: Portal G1/Bauru

Compartilhe esta notícia
Oferecimento
BERIMBAU INST DESK
Oferecimento