Produto desenvolvido no IB/Unesp Botucatu propõe melhoramento na cultura de eucalipto

Um novo produto concebido dentro do Instituto de Biociências (IB) da Unesp, Câmpus Botucatu, com apoio da Agência Unesp de Inovação (AUIN), acaba de ser patenteado junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), vinculado ao Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

A ideia, desenvolvida pela doutoranda Débora Zanoni do Prado e a docente Profª Drª Luciana Francisco Fleuri – ambas do Departamento de Química e Bioquímica do IB e da Pós-Graduação em Biotecnologia, agora pode ser adquirida por empresas ou outras organizações dispostas a produzi-la em escala comercial.

Trata-se do hormônio vegetal auxina (ácido indol-3-acético), produzido por micro-organismos por fermentação em estado sólido, técnica que utiliza resíduos da agricultura como meio de cultivo. A auxina possibilita a indução e, consequentemente, melhor desenvolvimento das raízes da planta. Os primeiros testes foram promovidos em eucalipto, mas segundo as pesquisadoras o produto tem potencial de ser utilizado também em outras culturas.

“Auxinas são hormônios vegetais responsáveis por diversos processos fisiológicos em plantas como enraizamento, amadurecimento de frutos e, em altas concentrações, utilizadas como herbicidas. O processo que patenteamos propõe a produção desse hormônio a partir de micro-organismos a baixo custo, utilizando resíduos da agricultura”, explica Débora.

“Um grande problema nos viveiros de eucalipto é que alguns clones melhorados geneticamente para a produção de papel e celulose muitas vezes possuem problemas de enraizamento. Assim, nossa tecnologia visa sanar este problema recorrente”, complementa.

Empresas ou instituições interessadas em investir nessa tecnologia devem entrar em contado com Rita Costoya – gerente de Transferência de Tecnologia da AUIN pelo telefone (11) 5627-0695 e/ou e-mail: rita.costoya@unesp.br.

4toques comunicação