Preço dos ovos de Páscoa deverá ter aumento 2% este ano

A Associação Paulista de Supermercados (APAS) acredita que o preço dos ovos de Páscoa deverá girar em torno de +2% com relação a 2019.

“Apesar do preço do cacau e açúcar se manter estável nos últimos doze meses, a alta recente do dólar contrabalanceia o preço para o consumidor como corantes e leite”, explica o economista da APAS, Thiago Berka. Vale lembrar que o valor dos ovos nos mercados não é tabelado, portanto, a APAS aconselha sempre o consumidor pesquisar antes de comprar.

A Páscoa é a segunda melhor data do Varejo Alimentar no Brasil depois apenas do Natal. Na análise de quanto os meses de março e abril faturaram em 2019, houve crescimento de +5,1%, mais que a média anual, enquanto o Natal representou 23%.

Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicab), 76% das vendas de ovos devem acontecer nos supermercados, que enfrentam competição com lojas especializadas e produção de microempreendedores individuais (MEIs).

Esse foi um dos motivos que, desde 2015, fez os supermercadistas diminuírem a área destinada para os produtos sazonais. Berka explica que de 2015 para 2017, com picos da depressão econômica, a produção de ovos teve forte redução passando de 80 para 36 milhões, e isso obrigou as lojas a tomarem uma série de decisões, entre elas:

  • Diminuição do estoque adquirido de chocolate;
  • Diminuição dos ovos acima de 750g e 1kg, que têm menor giro;
  • Aumento do estoque de ovos de até 170 gramas;
  • Apostar em ovos infantis que tenham maior valor agregado, como brindes e brinquedos;
  • Melhor uso de ilhas de produtos com sortimento misturado, para gerar compras de impulso ou combinadas (café, vinhos, etc);
  • Dar destaque para barras mais gourmets e caixas de chocolate;

OUTROS PRODUTOS 

Na Quaresma (período em que católicos não consomem carne vermelha) a previsão do aumento de preço dos ovos de granja é de +6% a +8%, item que no acumulado dos últimos doze meses registrou +27,32% no preço.

Outro produto muito consumido neste período são os peixes. A expectativa de crescimento está estimada entre +2% e +4%. Já o aumento dos pescados deve ficar dentro da média histórica para o período. Desde 2012 o preço dos peixes, em geral, sobe +2,46% na Semana Santa; para este ano, a APAS acredita que o aumento deve ficar entre +2,1% e +2,5%.

“Alguns pescados devem ter a inflação abaixo da prevista, como é o caso do bacalhau, que terá o preço do quilo variando entre R$69 e R$119 – dependendo do tipo (dessalgado, tiras, postas, filé e sem espinhas) – aumento previsto entre +0,5% a +1%”, destaca Berka.

Para o setor de vinhos a Páscoa é a terceira melhor época do ano, representando 20% das vendas (proximidade com o inverno). Porém, nos últimos doze meses, o preço das bebidas registrou +5,8% de inflação. Para o período, a estimativa é de aumento de preço entre +1,1% e +1,8%. Os motivos? O dólar alto que encarece insumos para produção e a demanda crescente. Segundo o site EuroMonitor, no Brasil o número de pessoas que consomem vinho passou de 22 para 30 milhões de brasileiros e o consumo chegou a dois litros por habitante/ano.

 

Sobre a APAS – a Associação Paulista de Supermercados representa o setor supermercadista no Estado de São Paulo e busca integrar toda a cadeia de abastecimento. A entidade tem aproximadamente 1,5 mil associados, que somam cerca de 4 mil lojas.