Por US$ 1,6 bi, consórcio com Embraer é escolhido para construir navios para Marinha

Foto: Oceana/Divulgação

Um consórcio com a participação de uma subsidiária da Embraer foi selecionado nesta quinta-feira (28) para construir quatro navios de defesa para a Marinha. Para a encomenda, o governo prevê investimento de US$ 1,6 bilhão.

O consórcio é formado pela alemã Thyssenkrupp Marine Systems, pela Embraer Defesa & Segurança e pela Atech, subsidiária do Grupo Embraer. A negociação é favorável para a fabricante brasileira de aeronaves, já que que as tratativas em andamento com a Boeing, para a criação de uma nova empresa, não incluem a divisão de defesa.

A concorrência da Marinha, que se arrasta desde o fim de 2017, foi para seleção do fornecedor de corvetas, que é um tipo de navio de guerra usado para escolta. A proposta do consórcio que inclui a Embraer foi apresentada no último dia 8.

Pelo edital, os modelos pedidos pelo governo para modernização da esquadra têm previsão de entrega entre 2024 e 2028. A construção das embarcações, que têm mais de 100 metros de comprimento, deve ser feita em um estaleiro em Itajaí (SC) – contratado pelo consórcio.

O modelo selecionado, nomeado ‘Meko A100 Light Frigate’, é usado normalmente em missões de paz e de ajuda humanitária.

Embraer

A Atech, empresa do Grupo Embraer, vai fornecer os sistemas de inteligência para navegação – como a integração entre sensores e armamentos do sistema de combate. A empresa tem sede no distrito de Eugênio de Melo, em São José dos Campos.

Fonte: Portal G1