Por conta de regionalização, Botucatu pode ser rebaixada e ter atividades restringidas

O governo do Estado de São Paulo indicou nesta quarta-feira, dia 03, que na próxima semana pode rebaixar as regiões de Bauru e Barretos para a fase laranja de reabertura econômica, mais rígida do que a amarela, em que foram inicialmente classificadas.

O Governo do Estado dividiu o estado em regionais de Saúde na última semana quando anunciou o Plano São Paulo. Botucatu está inserida na região de Bauru, porém, tem uma situação mais confortável, pois apresenta baixa ocupação de leitos.

A taxa de ocupação de leitos é um dos principais requisitos do Governo Paulista para manter a flexibilização, objetivo que está sendo cumprido em Botucatu. O recomendável é estar abaixo de 60%.

Para se ter uma ideia, Bauru tem 100% de ocupação de leitos UTI para covid-19 em seu Hospital Estadual, o que leva a crer que o número de casos positivos pode ser maior do que já foi divulgado pela Prefeitura, de 347.

Em Botucatu, o HCFMB tem apenas 31% de ocupação e o Hospital Unimed até ontem apresentava 20%. Além disso, Botucatu está testando em massa a população, um dos requisitos do governo estadual. São no total 25 mil testes RT-PCR.

Dados epidemiológicos mostram que mesmo fazendo busca ativa de novos infectados, o número de casos positivos por dia está diminuindo em Botucatu se houver uma comparação com a média estadual, conforme gráfico abaixo.

Antes do plano São Paulo, proposto pelo governo estadual, o cenário epidemiológico de Bauru considerava 39 municípios da chamada Região Administrativa. Nesse quesito, Botucatu seria incluída na região de Sorocaba.

Com a mudança proposta pelo Estado, toda a abrangência do Departamento Regional de Saúde de Bauru (DRS-6), responsável por 68 cidades, passou a ser considerada. O que significa a inclusão de municípios das regiões de Botucatu e Avaré.

A fase 3 (amarela) de flexibilização permite a reabertura parcial de atividades, como comércio de rua, shoppings, bares, restaurantes e similares e salões de beleza.

Na fase 2 (laranja) é permitida a abertura do comércio com restrições e proíbe o funcionamento de restaurantes.

Já na fase 1 (vermelha), a mais restritiva, apenas atividades essenciais, como supermercados e farmácias, podem funcionar.