Paciente fica 4 horas em ambulância do SAMU à espera de leito no HC de Botucatu

HC de Botucatu trabalha com capacidade máxima de leitos UTI/covid

Caso ocorreu na noite desta terça-feira, 26 (foto: arquivo Acontece Botucatu)

 

Uma situação que pode explicar perfeitamente o cenário grave de pandemia em Botucatu. Nesta terça-feira, dia 26, um paciente de Botucatu, que segundo informações era suspeito de estar com covid-19, passou 4 horas com respiração mecânica dentro de uma ambulância do SAMU à espera de um leito no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu.

Não havia vagas naquele momento e a permanência dentro da ambulância durou até o final da noite. Com a lotação, a Central de Regulação de Vagas teve que desenvolver diversas ações de urgência para poder receber o paciente.

Segundo informações, a demora ocorreu, pois o procedimento para adaptar um leito para covid-19 é extremamente complexo.

O momento de explosão de casos é tão delicado, que Hospital das Clínicas trabalha há dias no limite de sua capacidade de leitos UTI, seja para Covid-19 ou não. A autarquia recebe também diariamente pacientes de várias regiões do estado de São Paulo.

Para se ter uma ideia, de acordo com o último boletim, todos os 30 leitos de UTI para o novo coronavírus estavam ocupados. Destes, apenas 13 eram de pacientes de Botucatu. O município vem registrando mais de 100 novos casos de coronavírus por dia.

O Acontece Botucatu procurou o HCFMB para ter detalhes do caso. Em nota, a autarquia reforçou que chegou ao limite de sua capacidade, o que causa o tempo de espera. Confira na integra a nota

“O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) esclarece que, conforme já informado nas últimas semanas, e frente ao fluxo intenso de internação de pacientes com suspeita ou diagnóstico confirmado de COVID-19 vindos de todas as cidades que compõem a DRSVI Bauru nos últimos dias, tem atingido diariamente sua ocupação máxima de leitos de UTICOVID.

Diante desta situação, o tempo de espera de pacientes em ambulâncias do SAMU no HC acabou aumentando. Ao receber o pedido de vaga para paciente, uma equipe multiprofissional passa a buscar alternativas para que a solicitação de leito seja atendida, mesmo com a ocupação em nível máximo.

É importante destacar que um leito para paciente covid é criteriosamente avaliado antes da internação, para que os protocolos do Ministério da Saúde estejam em total acordo com as normas de higienização e isolamento vigentes, o que também conta no tempo de espera.

A UTI COVID do HCFMB é formada por 24 leitos habilitados pelo Ministério da Saúde e 6 leitos mantidos com recursos próprios do HC. Desta forma, não temos mais condições viáveis para a abertura de novos leitos de UTI COVID, mas seguimos cumprindo o nosso compromisso em promover atendimento digno e de qualidade a todos os pacientes que procurarem o HC neste momento”.