Nova empresa do Parque Tecnológico atua no segmento de blockchain

AgroXain utiliza cupons criptográficos para intermediar e registrar transações no agronegócio

Mais uma empresa acaba de assinar contrato para utilização do Espaço Coworking do Parque Tecnológico Botucatu. É a AgroXain, pioneira no desenvolvimento de uma plataforma descentralizada, de acesso a serviços e produtos para atividade agropecuária exponencial, na qual utiliza cupons criptográficos (AgroToken) em rede Blockchain.

O método de registro em Blockchain nada mais é do que um “livro digital descentralizado”, distribuído e incorruptível. É usado para registrar transações em vários computadores, possibilitando desenvolver um ecossistema envolvendo fazendeiros, produtores, usineiros e empreendedores de forma segura, justa e eficaz.

“É como se fosse um vale-cupom eletrônico, que só pode ser manuseado através de uma eWallet (carteira eletrônica) que você baixa pela web a custo zero. Cada usuário pode utilizar este cupom (token) para resgatar um desconto ou para receber como bônus”, explica Manoel Belem, fundador da AgroXain.

Ainda de acordo com o empresário, a parceria com o Parque Tecnológico possibilitará maior suporte de networking. Tanto para contato com potenciais empreendedores e investidores, como também troca de informações e participação em eventos.

“É uma vitrine mundial para nosso empreendimento. Permite atividade de incubação e pré-aceleração. Participaremos de workshops em conjunto com empreendedores acelerados pelo Parque. Permite interação entre realidades distintas e aprendizado mútuo, acesso a conhecimento e rede de mentores”, completa.

Sobre o Coworking Space

O local tem computadores e acesso à internet ilimitada (fibra ótica), mobiliário de escritório e sistema de ar-condicionado. Os usuários ainda poderão utilizar sala de reuniões para receber clientes e convidados, além de outras áreas de uso comum do prédio administrativo do Parque Tecnológico, que conta com toda infraestrutura básica como água, energia, serviços de limpeza e segurança 24 horas.

O diferencial é a flexibilidade do tempo de uso, que pode ser anual, mensal, semanal ou até mesmo diário. Para se ter ideia, caso a pessoa queira utilizar o Espaço Coworking por quatro horas, em um único dia, ela irá pagar apenas R$ 24,13. Contratos firmados por maior período ou com empresas dispostas a se associarem ao Parque possibilitam condições ainda melhores aos interessados. Por exemplo, contratos por um ano de utilização têm valor mensal de R$ 361,97.

Atualmente o Espaço Coworking do Parque Tecnológico Botucatu abriga mais quatro outras empresas: Assovio (desenvolvimento de softwares); Avenir 3D (impressão 3D / prototipagem rápida); Milena Lozano Coaching (desenvolvimento pessoal e profissional); e Verum Ingredients (desenvolvimento de ingredientes funcionais).