Moradores de Botucatu se reúnem para protestar contra morte de cadela

Fotos: Acontece Botucatu

Segundo estimativa da Polícia Militar, aproximadamente 150 pessoas se reuniram na Rua Palmiro Biazon, região central de Botucatu, para protestar conta a morte de uma cadela, ocorrida no último fim de semana.

A manifestação foi pacífica e os participantes percorreram quatro quarteirões, alguns com cães em coleiras, até chegar na casa de uma mulher que é acusada de maus-tratos contra a cadela. Duas viaturas da PM acompanharam o ato.

O protesto foi organizado pelas redes sociais e teve à frente a protetora de animais Luciana Cruz. “Queremos punições, queremos justiça. Todos podem levar cartazes, usem camisetas pretas, lenços pretos, potes de água que serão deixados simbolizando o item de sobrevivência, caixões, faixas, etc. Temos poucas coisas de imediato, o que conseguirmos será ótimo, mas precisamos de pessoas, precisamos ser ouvidos, precisamos que a lei seja cumprida, não vamos deixar cair no esquecimento”, disse ela em sua página de facebook.

Já durante o protesto, Lucina Cruz falou com a reportagem do Acontece Botucatu. “Eu estou aqui pela vida de um ser inocente que eu não consegui salvar. Não viemos aqui para brigar, apenas para fazer que as leis sejam cumpridas. Se a gente conseguir punir uma pessoa apenas, todos os outros irão agir de outra maneira. Eu preciso de vocês e os animais também”, disse.

“Eu acho que o amor que nós temos pelos animais precisa se espalhar. Por isso estou aqui, para cobrar justiça das autoridades, os vereadores precisam começar a trabalhar nesse sentido. As pessoas maltratam, matam e não acontece nada. Então eu vim pedir justiça”, disse Jenifer de Almeida Donida, que participou do protesto.

O filho da proprietária do animal foi até o local e dialogou com os manifestantes, que permaneceram em frente à casa, gritando palavras de ordem e segurando cartazes pedindo justiça. De acordo com os participantes do protesto, novos atos irão ocorrer.

Relembre

Moradores da Vila Padovan ficaram  revoltados após a morte de uma cachorra em uma residência na tarde deste domingo, dia 19. Segundo relatos expostos no facebook e de pessoas que moram próximas ao local, o animal ficou preso durante todo o dia debaixo do sol forte.

Imagens do animal foram divulgadas em um grupo de proteção pelo facebook. Na postagem uma moradora diz que o animal estava sem água desde a parte da manhã.

“Desde às 7 horas da manhã eu escutava a cachorra. Ela estava presa e a dona não estava na casa. Não tinha o que fazer. Chamamos a Guarda que veio aqui com o pessoal do Canil, mas não puderam entrar, pois a dona não estava em casa”, disse uma moradora próxima ao local.

Segundo a Guarda, não foi possível entrar no imóvel sem que o proprietário estivesse presente ou sem um mandado judicial. Um comunicado foi deixado no local para a proprietária da cachorra fizesse contato urgente com o Canil. Nenhum boletim de ocorrência havia sido registrado até o início da noite.