McDonald’s é vítima de vazamento de dados no Brasil

Geral
McDonald’s é vítima de vazamento de dados no Brasil 26 abril 2022

Na metade de abril, a filial brasileira da rede de fast food McDonald’s sofreu um ataque cibernético em seus sistemas, ocasionando a exposição de dados confidenciais de parte de seus clientes. Logo após o incidente, a empresa entrou em contato com os consumidores para alertá-los do acontecido. Uma das maiores preocupações é que eles venham a receber mensagens falsas de phishing por e-mail ou SMS em decorrência do vazamento.

Segundo informe da Arcos Dorados, companhia responsável por administrar o McDonald’s nos países da América Latina, foram vazados de seus sistemas dados como nomes, endereços, e-mails, números de CPF e telefone de alguns de seus clientes cadastrados.

Em comunicado oficial, a empresa afirmou ainda que todos os afetados, bem como a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), foram devidamente informados e que já foram tomadas todas as medidas cabíveis para resolver a questão e reforçar a segurança de seus sistemas.

Aumento de ataques cibernéticos

O episódio é mais um dos crescentes casos de ataque cibernético que vêm acometendo grandes companhias e, por consequência, os consumidores. De acordo com especialistas, o fenômeno ganhou força nos últimos anos por causa da transição para o trabalho remoto, quando muitos funcionários acabaram reduzindo o nível de proteção de suas operações ao se conectarem em redes menos seguras, como a de espaços públicos ou mesmo em suas residências.

A própria Arcos Dorados foi vítima de outro ataque, semanas antes do ocorrido com o McDonald’s, quando ela e outras companhias globais (como Apple, Facebook e DHL) tiveram informações vazadas pelo grupo hacker Lapsus – o mesmo que, meses antes, invadiu também os sistemas do Ministério da Saúde brasileiro.

Diante disso, experts em cibersegurança recomendam que os usuários tomem cuidados adicionais para evitar serem alvos fáceis dos criminosos, especialmente quando estiverem lidando com dados sensíveis ou no trabalho.

Como se proteger?

Para se proteger contra ataques cibernéticos, os usuários devem adotar estratégias básicas de cibersegurança, como investir em programas de defesa, aprender sobre as ameaças mais comuns e reforçar suas configurações de segurança.

Abaixo, uma lista com as principais medidas a serem seguidas.

Baixar uma VPN

As VPNs são programas usados para criptografar a conexão com à internet. Com elas, o usuário acrescenta uma camada extra de segurança à sua navegação, garantindo que nenhum terceiro mal-intencionado se interponha entre ele e a rede.

Ao baixar VPN grátis para PC ou dispositivos móveis, portanto, é possível proteger seu tráfego de navegação até mesmo quando se estiver usando uma rede desprotegida, como o Wi-Fi público de hotéis, aeroportos e restaurantes.

Usar um antimalware

 

Os aplicativos antimalware são ferramentas essenciais para qualquer usuário da internet. Um bom programa do tipo pode não apenas proteger o usuário durante sua navegação (evitando, assim, que arquivos maliciosos sejam baixados ou páginas suspeitas sejam carregadas), como também resolver problemas pós infecção.

Juntamente com uma boa configuração de firewall, então, os antimalware têm a função de filtrar o tráfego, e eliminar e prevenir infecções em seus dispositivos, sendo uma aquisição básica de todo usuário que preze por sua segurança cibernética.

Aprender a identificar o phishing

 

Embora possuir ferramentas de cibersegurança seja muito importante para uma proteção mais abrangente contra os criminosos virtuais, há um fator ainda mais central a ser considerado: o comportamento do usuário na rede.

Um ótimo método de aprimorar esse aspecto é justamente começar a conhecer as principais ameaças oferecidas pelo espaço virtual. O phishing, por exemplo, é um golpe muito comum que todo usuário deve conhecer. Baseado em mensagens falsas (mas que parecem legítimas), não raro acompanhadas de arquivos maliciosos, o phishing tem como objetivo induzir as vítimas a revelar dados pessoais e instalar programas infectados em seus dispositivos.

Reforçar as senhas

Outro ponto que depende muito da atitude do usuário é a criação de senhas. Como passes para a entrada em todas as contas e perfis na rede, os códigos de acesso são um elemento-chave na segurança digital.

Para cuidar de sua privacidade e proteger seus dados na rede, portanto, os usuários devem se dedicar em gerar senhas complexas, longas e fortes. Combinações com sequências lógicas, datas de aniversário, nomes ou frases fáceis de deduzir são os maiores pecados nesse sentido.

Conclusão

O recente ataque ao McDonald’s do Brasil trouxe à tona, mais uma vez, que os dados pessoais dos usuários da internet estão em constante risco, seja pelas mãos das empresas ou das próprias pessoas.

Por isso, mais do que nunca, é imprescindível que os internautas tenham consciência do seu nível de segurança na rede para que possam se dedicar ativamente na proteção de seus dispositivos e de sua navegação contra esses criminosos virtuais.

Entre as medidas recomendadas pelos especialistas, os destaques vão para o emprego de ferramentas digitais como aplicativos VPN e programas antimalware, e para a adoção de uma postura mais ciente diante dos riscos do espaço virtual, com o uso de senhas mais fortes e uma boa educação quanto às ameaças mais comuns.

Com essas estratégias postas em prática, os usuários conseguirão uma proteção mais robusta contra eventuais ataques e muito mais tranquilidade em seu dia a dia online, especialmente no trabalho.

Compartilhe esta notícia
Oferecimento
BERIMBAU INST DESK
Oferecimento