Informação sobre foto que ensina criança a se enforcar é falsa

 

Na era da boataria, muitas pessoas pensam que as redes sociais são as maiores aliadas de quem espalha informação falsa. Este conceito é errado: na realidade, a maior aliada dos boateiros é a falta de inteligência de quem lê, não interpreta o conteúdo e compartilha. O caso de hoje é exemplar em relação a isso.

Circula na internet a informação de que “criaram” um tutorial de como se enforcar. De acordo com a mensagem (viral no WhatsApp e no Facebook), a imagem está se espalhando entre crianças e o “panfleto” está sendo postado em sites infantis. Encontramos duas versões do tal alerta.

A primeira versão alerta para as pessoas olharem o celular de quem tem criança em casa. “Tem uma foto se espalhando entre as crianças, ensinando a se enforcar, como se fosse uma brincadeira. A coisa é mais séria do que a gente pensa”. A outra versão “inclui” os sites infantis no meio: “esse panfleto que estão divulgando em sites infantis, cuide o que seu filho está acessando. Esse é o passo a passo de como a criança se enforcar”. Leia as mensagens (reprodução do Facebook).

Assim como no caso da Baleia Azul, o alerta do “como se enforcar” está “patrocinando” a imagem mais do que a imagem em si. A prova está no próprio histórico dela. Ao contrário do que diz uma versão do texto, ela não surgiu em “sites infantis” (seja lá o que isso significa). Ela foi uma criação de um artista no site DevianArt (voltado para ilustradores) há cerca de cinco anos.

A primeira versão do desenho está em inglês (how to hang yourself) e é, claramente, uma ironia (bem sem graça) para ser colocado em comentários de fóruns no lugar do “se mata, cara” (usado quando alguém fala uma besteira). Nas nossas buscas, não achamos nenhum site infantil mostrando a imagem e tampouco alguma criança que se matou vendo ela (até porque não há como aprender aquele “nó de marinheiro” só olhando para a imagem).

Até outubro de 2017, a imagem se espalhou na internet apenas como um “meme”. Apenas com o início do alerta (criado por algum, com todo respeito, idiota), a imagem foi vendida como um “tutorial” (devidamente compartilhada por quem “está indignado” com a história). Pelo menos por enquanto, a imagem foi mais vista por “tios e tias” do WhatsApp do que por crianças. Esperamos que, com esse desmentido, ela pare de circular.

Resumindo: a história que aponta que “as crianças” estão tendo acesso a uma foto que “ensina” como se suicidar e que sites “infantis” estão a publicando é falsa. Não compartilhe o alerta e, obviamente, não faça a imagem se espalhar pela internet. Pode ter certeza que, se você fizer isso, a história vai acabar rapidinho. Em tempo: obviamente, não publicamos a imagem inteira e recomendamos que você não faça isso.

Fonte: boatos.org/brasil