Idoso produz palhacinhos para pacientes do Hospital das Clínicas de Botucatu

Em tempos de pandemia, descobrimos que não precisamos estar fisicamente perto para ajudar a quem mais precisa, basta apenas a proximidade de valores e de corações.

Sr. João Abel de Carvalho tem 91 anos e sempre exerceu a criatividade e a solidariedade como missões de vida. Para se reinventar depois de longos anos de trabalho, este fiscal de renda, advogado e professor transforma materiais que estariam na lata do lixo em preciosidades que vão parar nas mãos de muitas pessoas.

Orgulhoso do trabalho voluntário e da dedicação em plantar sorrisos e esperança, Sr. João comenta: “Esse é o presente que eu quero: o sorriso, o gesto de uma criança recebendo o palhacinho, é a coisa mais linda que tem – mas sempre lavando as mãos antes, ainda mais com essa situação crítica que vivemos. Se precisar de mais, eu estou às ordens. Para transmitir uma bondade e receber um sorriso de criança, tem mais palhacinhos prontos”.

Tampinhas de suco, leite e água, pote de iogurte, sobras de panos – desprezados por muitos – quando reciclados e costurados por suas habilidosas mãos, tornam-se palhacinhos que trazem alegria a pequenos e grandes em meio às lutas diárias de cada um.

Nesta segunda-feira, 10, os pacientes do Ambulatório de Oncologia do Hospital Estadual Botucatu (HEBo) receberam este singelo presente pelas mãos do Superintendente do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) Dr. André Balbi e da assistente social do Ambulatório Vanessa Cristina Ângelo. Presente que faz renascer a esperança em um amanhã melhor e que traz também outra bonita lição: quando há muito amor envolvido, nada se perde, tudo se transforma. Na natureza e no coração das pessoas.

Por HCFMB