Golpe no WhatsApp: cuidado para não ser a próxima vítima

Uma nova tática que criminosos estão utilizando no roubo de contas de WhatsApp consiste na promessa de ingressos grátis para grandes shows e festas. Os criminosos usam de ligações, e de mensagens enganosas, para fazer com que a vítima envie um código recebido por SMS, afim de que sejam providenciados os convites gratuitos. Contudo, o código exigido pelo golpista é o de ativação do WhatsApp.

Depois que a senha é obtida, o golpista acessa a conta da vítima e passa a conversar com amigos e familiares. A intenção: pedir dinheiro emprestado, sempre alegando uma situação urgente, comovendo o contato a realizar um depósito.

Ainda que se tente acessar novamente a conta, após ser desconectado pelo golpista, não se terá exito. Como parte da estratégia, a verificação em duas etapas do aplicativo estará ativada, o que faz com que o WhatsApp exija uma senha para ser reativado no mesmo número. Na prática, a vítima fica bloqueada em sua própria conta.

Quem caiu no golpe pode tentar recuperar a conta enviando um e-mail ao suporte do WhatsApp (support@whatsapp.com). Se isso não funcionar, será necessário aguardar sete dias de inatividade na conta para reativar o número sem a senha de verificação de duas etapas.

Diversas pessoas já caíram nesses golpes em Botucatu e região. Muitas dessas vítimas procuraram a Polícia Civil para elaboração de boletim de ocorrência após serem lesadas.

O WhatsApp recomenda, na mensagem que contém o código, que ele não seja enviado para terceiros. Nesse caso, destaca-se ainda a necessidade de ter ressalvas com qualquer promoção ou link recebido via SMS, sem que se tenha requisitado o mesmo. Fonte: Com Informações da Veja.

Golpe do OLX

Um novo golpe que está ganhando força no Brasil utiliza os dados presentes em anúncios online para clonar o WhatsApp de usuários e tentar roubar dinheiro de familiares e amigos por meio do aplicativo de mensagens. De acordo com um levantamento do Tilt, mais de 300 pessoas já sofreram com tentativas de invasão de conta por criminosos, que deixam de lado os “vírus” e apostam na engenharia social.

A armação tem como ponto de partida as informações publicadas em anúncios em plataformas como OLX e Mercado Livre, que normalmente pedem um telefone ou e-mail para que os interessados no produto entrem em contato com o vendedor. Os criminosos aproveitam essa brecha para pegar o número do anunciante, tentar enganá-lo e assumir o controle de seu WhatsApp.

Como funciona o golpe

Ao pegar o número de telefone online, o criminoso faz uma ligação ou envia uma mensagem via WhatsApp fingindo ser a plataforma em que o usuário criou o anúncio, dizendo que é necessário enviar um código de confirmação que chegará via SMS para terminar o cadastro. Esse código, na verdade, é o autenticador de duas etapas do WhatsApp da vítima, a última peça necessária para o golpista clonar a conta. Como todo o processo acontece em tempo real, pessoas desatentas acabam acreditando na história e perdendo acesso ao aplicativo.

Um detalhe importante na armação é ausência de qualquer tipo de vírus ou programa malicioso: assim como outros golpes de engenharia social, a peça-chave para o crime é a desatenção do usuário. A OLX comentou o assunto e disse que não pede informações pessoais por telefone, WhatsApp ou SMS para autenticar a publicação de anúncios. O Mercado Livre não se pronunciou, mas todo o processo de criação de posts do serviço também acontece dentro da plataforma, sem a necessidade de falar com agentes externos.

Com isso em mente, a dica para se proteger é ter a verificação em duas etapas do Whatsapp ativada e ficar atento ao receber e-mails de serviços que deixam dados de contato expostos publicamente. (Fonte: TecMundo)