Funcionários da Irizar Botucatu aprovam redução na jornada de trabalho

Produção da Irizar em Botucatu foi paralisada

FOTO: ARQUIVO ACONTECE BOTUCATU

Os funcionários da Irizar em Botucatu voltaram nesta quarta-feira, dia 15, de um período de duas semanas de férias coletivas, em virtude da pandemia do coronavírus. Logo no retorno, houve uma votação sobre a proposta da empresa de redução na jornada de trabalho para minimizar os impactos financeiros.

O resultado foi quase unânime. No total 99,7% dos funcionários aprovaram as propostas da direção frente a crise do coronavírus. Foram 375 votos pelo sim e apenas 1 voto nulo, segundo o Sindicato dos Metalúrgicos. Importante destacar que 4 funcionários da empresa, de forma voluntária, fiscalizaram o resultado da votação.

A produção foi seriamente afetada e a proposta foi de reduzir 40% da jornada de trabalho entre os colaboradores. Com os incentivos do governo, onde é pago uma porcentagem de 22% sobre o seguro-desemprego, que devem ser aplicados durante a crise, a redução salarial chegará a 25%.

“Eu sei que num primeiro momento vem o impacto de trazer uma situação de perda, de dor, mas tenha certeza que a Irizar buscou os meios e todos os caminhos, para pudéssemos passar por ela de uma maneira mais suave”, diz Paulo Sérgio Cadorin, Diretor Administrativo da empresa, em vídeo aos colaboradores.

A medida começa a valer no dia 21 de abril, se estendendo até o mês de julho. Não haverá turno de trabalho no restante desta semana.

“A proposta da Irizar passar por uma redução de 40%, não temos como fazer menos que isso. Essa redução de jornada seria a partir do dia 21. Na sexta-feira também não há trabalho e jogar isso para frente quando a gente puder ter uma produção e o dia 20, a segunda-feira, não contada como redução de jornada, começando no dia 21, tendo assim 10 dias no mês de abril. Seriam mais 30 dias dentro do mês de maio, 30 dias no mês de junho e 20 dias dentro do mês de julho”, coloca Cadorin.

A Irizar entrou em férias coletivas no dia 01 de abril. Antes disso, um grupo de colaboradores entrou em quarentena após um período de trabalho na matriz da empresa, na Espanha, segundo país mais afetado pela covid-19 na Europa.