Feira de Oportunidades da FCA/Unesp reúne mais de 30 empresas

No dia 21 de novembro, a Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA) da Unesp, câmpus de Botucatu, promoveu a I Feira de Oportunidades. O evento, realizado com o objetivo de auxiliar os estudantes de graduação dos cursos de Engenharia Agronômica, Engenharia Florestal e Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia na escolha profissional, teve a participação de 31 empresas de diversos setores relacionados a essas áreas.

Por meio de palestras, dinâmicas e da apresentação das atividades das instituições que poderão absorver os futuros profissionais em estandes e painéis, o evento apresentou aos alunos um panorama do mercado de trabalho, de forma a estimular a aproximação dos futuros egressos da FCA ao universo profissional.

Na abertura do evento, a professora Regiane Cristina Oliveira de Freitas Bueno, do Departamento de Proteção Vegetal da FCA, falou sobre o trabalho da Coordenação de Estágio, Bolsas e Orientação Profissional (Cebop) da FCA na organização da Feira. Ela agradeceu as instituições parceiras, a direção da Faculdade, os conselhos de curso e todo o corpo técnico administrativo e alertou os estudantes:

“Todos precisam ser agentes transformadores do meio onde atuam. Vocês, nossos alunos, serão agentes transformadores do mercado de trabalho na área em que escolherem atuar. E assumirão esse papel representando a FCA/Unesp, o que aumenta a responsabilidade e o desafio. Tenham a certeza que todos nós estamos pensando junto nas melhores oportunidades para o desenvolvimento da competência de cada um de vocês. Estamos comprometidos com sua formação. Tudo o que fazemos é pensando nesse sentido”.

O secretário municipal do Verde, Márcio Piedade Vieira, representou o prefeito Mario Pardini no evento.  “Muitos alunos da FCA têm feito estágio na nossa Secretaria e a qualidade técnica deles é realmente excepcional. São alunos sempre envolvidos com as vivências, querendo melhorar e consertar coisas que não vão bem. Oportunidades como essa feira são mágicas na formação dos alunos. Parabenizo todos os organizadores por essa iniciativa”.

O professor Carlos Frederico Wilcken, diretor da FCA,  também deu seu recado aos participantes. “O que estamos fazendo nesse evento é apresentar oportunidades. A ideia é começar a abrir as portas para vocês, do ponto de vista profissional. Aproveitem, porque é importante encontrarem as áreas com as quais vocês mais se identificam. Estudantes de qualidade são aqueles que aproveitam todas as oportunidades”.

De maneira geral, a comunidade discente aprovou a iniciativa. “É primeira vez que participo de uma feira de mercado e trabalho e o evento cumpriu minhas expectativas. Trazer empresas para perto dos alunos é muito importante. Acho uma iniciativa essencial no âmbito acadêmico. É uma porta de entrada para a área profissional e permite uma troca de experiências muito grande. É possível conhecer melhor o mercado e fazer contatos”, avaliou Gabriel Dell`aqua dos Santos, aluno do quarto ano do curso de Engenharia Florestal”.

Luiz Gustavo Moretti, aluno de doutorado do Programa de Pós-Graduação em Agronomia – Agricultura, considerou o evento extremamente válido. “Falta esse link da universidade com a realidade das empresas. O aluno quando está se formando sente-se um pouco confuso e não tem ainda os parâmetros para avaliar se ele mesmo tem um perfil mais comercial ou se o melhor seria se aprimorar numa pós-graduação. Nesse sentido, o evento muito positivo”.

Paulo Henrique Ribeiro Lopes, aluno do 5º ano do curso de Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia da FCA e integrante da Liga Nacional de Acadêmicos de Biotecnologia (Lina) participou da Feira conhecendo o trabalho das empresas e também divulgado as atividades da Lina. “A iniciativa foi muito legal. A Feira coloca os alunos em contato com as empresas e nos ajuda a dar os próximos passos na carreira. Além disso, poder apresentar as atividades da Lina aqui nos ajuda a ganhar espaço politicamente, o que também é importante para o desenvolvimento do nosso curso”.

Os representantes das empresas endossaram as opiniões da comunidade universitária. Engenheira agrônoma formada na FCA, Maristella Carpanetti trabalha atualmente no Departamento de Flores na Takii do Brasil Ltda e destacou a importância do evento. “Queria que tivesse algo parecido na minha época de estudante, porque a gente sai da Faculdade muito cru, sem conhecer a maioria das empresas. Na minha experiência, a postura e a identificação com o perfil da empresa pesou até mais do que a parte técnica. Claro que o conhecimento adquirido na faculdade é muito importante, mas o comportamento, o perfil e a capacidade de relacionamento são o que podem destacar um profissional no meio de outras pessoas. Poder conversar com quem já está no mercado é sempre uma luz para quem está iniciando a carreira. Temos muito interesse em participar desse tipo de evento, mesmo porque nossa empresa gosta de contratar recém-formados”.

Também formada pela FCA, Danila Estevam é engenheira florestal da Eucatex na unidade de Botucatu. “É um evento importantíssimo para que o estudante tenha contato com as empresas e possa visualizar a oportunidade que ele pode ter no futuro. Vejo como algo semelhante às visitas técnicas que alguns professores promovem nas empresas. Foi numa visita técnica que eu me apaixonei pela minha carreira e decidi que gostaria de trabalhar na Eucatex. Hoje, a maioria dos que trabalham na Eucatex são ex-estagiários que estão exercendo cargos de engenharia, supervisão e gerência. É uma boa oportunidade para ambas a partes. A Eucatex pode conhecer os futuros profissionais e os estudantes podem ter mais uma visão mais completa de atuação no mercado”.

Danilo dos Santos, auxiliar de RH da Jaguacy Avocado Brasil foi na mesma linha. “Acho importante dar essa visão aos alunos sobre como anda o mercado de trabalho. Eles conseguem enxergar melhor as várias funções diferentes que eles podem exercer depois de formados. Também acho bacana a iniciativa de trazer as empresas aqui, pois temos o interesse de localizar essa mão de obra qualificada, então o evento consegue somar esses dois aspectos”.

As empresas e instituições participantes da I Feira de Oportunidades foram: Ambev, Associação Biodinâmica (ABD), Associação Brasileira do Agronegócio, Associação de Engenharia de Botucatu, Bayer, Biotrop Soluções Biológicas, Case IH, Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati), Corteva, Equaliza Ambiental, Eucatex Florestal, Fertilizantes Tocantins, FMC, Folhas da Terra, Horticeres Sementes, IBD Certificações, Ihara, Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais (Ipef), Instituto Flora Vida, Jaguacy Avocado Brasil, John Deere, Mosaic Fertilizantes, Raízen, Secretaria Municipal do Verde, Sindicato Rural de Botucatu, Stoller, Takii Sementes de Hortaliças e Flores, Usina São Manoel, WPTEC Indústria e Comércio de Polímeros e Yara.