Facebook sofre ataque que afetou 50 milhões de pessoas

O Facebook revelou que um ataque à rede social permitiu que hackers controlassem contas de 50 milhões de pessoas. Segundo comunicado oficial da rede feito nesta sexta-feira (28), os invasores exploraram uma vulnerabilidade na função “ver como”. Por causa das medidas de segurança tomadas pela rede social, os usuários afetados foram deslogados de seus perfis em todos os dispositivos em que estavam conectados.

Ao todo, cerca de 90 milhões de pessoas precisarão fazer login novamente no Facebook no navegador e no celular, além de todos os serviços que usam a senha da rede social — os 50 milhões comprovadamente afetados pela invasão e mais 40 milhões que usaram a função “ver como” no último ano. Quem for deslogado, ao entrar novamente, verá uma mensagem no topo do Feed de Notícias explicando o que aconteceu.

A companhia já desativou o recurso com a falha de segurança e prometeu uma análise completa para entender o ataque.”Nós já corrigimos a vulnerabilidade e estamos informando as autoridades sobre o ocorrido”, afirma o comunicado no blog oficial.

A violação foi descoberta no início desta semana, mas o código com a brecha de segurança foi implementado na rede social em 2017, com a função “ver como”, que deixa o dono do perfil visualizar suas informações e saber como elas são exibidas para os outros. O ataque, que roubou os token de acesso dos usuários, permitia aos hackers acessar informações pessoaos e até tomar o controle dos perfis.

O Facebook afirmou que não é necessário mudar a senha. No entando, se o usuário quiser fazer o logout por precaução deve ir em Configurações > Segurança e Login. Nessa área, constam todos os aparelhos que estão conectados ao Facebook e é possível sair de todos ao mesmo tempo. Quem precisa fazer o login novamente, mas esqueceu a senha deve entrar em contato com a Central de Ajuda.

Em seu perfil pessoal, Mark Zuckerberg admitiu a necessidade de continuar investindo em segurança: “embora eu esteja feliz por termos encontrado isso, corrigido a vulnerabilidade e protegido as contas que podem estar em risco, a realidade é que precisamos continuar desenvolvendo novas ferramentas para evitar que isso aconteça em primeiro lugar”, explicou.

No início do ano, o Facebook também esteve envolvido em uma polêmica sobre vazamento de dados, o caso Cambridge Analytica. A acusação envolve a empresa de marketing Cambridge Analytica, que obteve de forma ilegal dados dos perfis para serem usados na campanha presidencial de Donald Trump, em 2017. Com as informações, era possível traçar um perfil psicológico para oferecer propaganda política mais assertiva aos usuários. A situação foi resultado de uma diretriz flexível do Facebook entre 2007 e 2014. Nesse período, a plataforma fornecia dados de perfis aos desenvolvedores de aplicativos, no intuito de auxiliar o aperfeiçoamento dos softwares para a rede social.

Fonte: site Techtudo