FAB e Embraer vão desenvolver novo avião de transporte com motor híbrido

Imagem conceitual apresentada de forma online durante o Seminário de Defesa Nacional

Durante o Seminário de Defesa Nacional, promovido pelo Ministério da Defesa, foi apresentado o conceito de uma possível nova aeronave de transporte da FAB, que deverá substituir os atuais C-95 Bandeirante e C-97 Brasília.

O avião ainda conceito deverá atender aos requisitos de STOUT (Short Take Off Utility Transport), que prevê um modelo utilitário com capacidade de decolagem em pistas curtas.

O projeto apresentado chama atenção por dispor de um conceito de propulsão híbrida, com dois motores turbo-hélices e dois elétricos. O modelo digital exibiu um avião de asa alta, com fuselagem retangular e rampa traseira.

Um dos entraves do Bandeirante sempre foi a falta de uma rampa, o que inclusive levou a FAB estudar a compra de diversas aeronaves com tal capacidade, o que ampliaria o número de missões realizadas.

A futura aeronave deverá ser capaz de transportar carga paletizada, tropas, fazer o lançamento de paraquedistas, assim como transporte de cargas em geral e missões de evacuação aeromédica. Segundo os dados preliminares a carga paga será na ordem de 3.000 quilos e o avião poderá operar em pistas curtas com menos de 1.000 metros.

Um dos desafios do projeto será o uso de motorização elétrica, ainda pouco conhecida na aviação, com projetos ainda em estudos ainda em andamento. Um memorando inicial de desenvolvimento foi assinado com a Embraer, que deverá ser a responsável pelo desenvolvimento do novo avião.

Fonte: Aero Magazine