Embraer retoma jornada integral para colaboradores de Botucatu que saíram em layoff e jornada reduzida

Maioria permanece em home office; Grupo que vai trabalhar nas unidades deve seguir protocolo de saúde e segurança

Diante da crise do Covid-19, a Embraer segue buscando medidas para equilibrar a demanda e a disponibilidade das equipes, minimizar impactos econômicos da pandemia e, acima de tudo, continuar preservando a saúde e segurança das pessoas.

Hoje, a Embraer anunciou aos colaboradores das unidades de Botucatu, Campinas, São Paulo, Sorocaba, Taubaté e engenheiros do Estado de São Paulo (os primeiros a iniciar o lay-off e a jornada reduzida) que o primeiro grupo que saiu em lay-off em 13 de abril voltará à jornada integral, de preferência em home office, no dia 15 de junho. Já os colaboradores em jornada reduzida retomam antecipadamente o expediente regular, em home office, sem redução de salário, a partir de 16 de junho. Em contrapartida, haverá nova etapa de lay-off com início em 15 de junho de funcionários de Botucatu, por 60 dias.

Essa semana, a Embraer também propôs ao Sindicato dos Engenheiros do Estado de São Paulo (SEESP) uma nova etapa de lay-off, que inclui apenas alguns dos profissionais da categoria no Estado. A proposta foi votada ontem e aceita por 93% da categoria.

A saúde e a segurança das equipes continuam sendo prioridades da Embraer. Por isso, a orientação é para quem retornar ao trabalho dê preferência ao home office. Para aqueles que precisam realizar atividades nas fábricas ou centros de serviço, a Companhia já tomou todas as precauções para que voltem com segurança. Todos devem seguir rigorosamente os protocolos das autoridades de saúde, como uso obrigatório de máscara, distanciamento, higienização recorrente das mãos e ferramentas.

Quem faz parte do grupo de risco e não puder ficar em trabalho remoto terá férias coletivas ou licença remunerada, a depender da unidade, a partir de 15 de junho e até novas orientações.