Embraer luta para manter seus jatos no mercado americano

 

A JetBlue Airways vai decidir até o fim do ano se tira da sua frota o avião E190 da Embraer, aeronave com capacidade para 96 a 114 passageiros e que tem lutado para competir com modelos maiores no mercado americano. Todas as opções estão sendo consideradas na revisão de frota da JetBlue, disse o diretor financeiro da companhia, Steve Priest.

Entre as opções, está eliminar os sessenta E190 que a companhia aérea atualmente opera, substituindo-os por outros aviões. Além da Embraer, o C Series da Bombadier e o A319 da Airbus são candidatos. Um jato menor da Mitsubishi Corp. também deve estar pronto até meados de 2018.

Caso a JetBlue abandone a aeronave brasileira, a Aeromexico seria a única operadora a utilizar o modelo no mercado americano. American Airlines e Air Canada já decidiram deixar de operar o E190.

A luta para permanecer no mercado americano é, em parte, porque esse tipo de aeronave, que carrega menos passageiros e faz rotas menores, exige que as companhias aéreas cobrem tarifas maiores em outros trechos para cobrir os altos custos desses voos, uma política de preços que tem sido questionada pela empresas.

— A questão é se esse tipo de precificação ainda funciona — diz Richard Aboulafia, analista do setor aeroespacial da Teal Group. — A decisão da JetBlue vai servir de referência para entender como essas cias. aéreas estão vendo esta questão agora.

O modelo E175 da Embraer, de 76 assentos, é uma das aeronaves de menor porte que mantém o posto de favorita no mercado norte-americano. Um dos motivos é a legislação, que obriga aeronaves com mais de 76 assentos a integrarem as rotas principais, com a necessidade de pilotos mais bem remunerados, o que aumenta os custos operacionais com aeronaves um pouco maiores do que essa.

Fonte: Época Negócios