Em assembleias, funcionários da Caio aceitam redução na jornada de trabalho e salários

Encontros de funcionários e Sindicato ocorreram hoje na Caio

Arquivo Acontece Botucatu

Empregados da Caio Induscar e Sindicato dos Metalúrgicos se reuniram na tarde desta quarta-feira, 01, para avaliar as propostas da empresa durante o período de crise do coronavírus. A empresa apresentou alternativas para a manutenção dos empregos na terça-feira, 31.

A proposta discutida hoje é de que os funcionários se dividam em dois grupos e cada um trabalhe metade dos dias úteis do mês, para evitar aglomerações.

As assembleias de hoje foram realizadas do campo de futebol da empresa. As discussões foram realizadas em dois períodos, um às 8h00 e outro às 14h00.

Segundo entrevista do Diretor Industrial da Caio, Maurício Lourenço da Cunha, à Rádio Criativa FM nesta manhã de quarta-feira, basicamente a proposta foi de redução na jornada de trabalho com a consequente redução dos vencimentos. Para isso, a empresa ofereceu dois grupos para o trabalho de forma alternada durante o período nos seguintes termos:

– Funcionários colocados em isolamento social receberão 60% dos salários durante o período, ou seja, 60% do salário em dias não trabalhados.

– O pagamento será de 100% dos dias trabalhados, totalizando com os dias não trabalhados, 80% dos recebimentos.

– A porcentagem de 60% nos salários no período de reclusão, deverá ser compensada em dias trabalhados posteriormente sem data definida pelos próximos dois anos, ou seja, lançados no banco de horas.

– A proposta, segundo vai a empresa, vai abranger desde do colaborador mais novo, até a gerência.

O resultado foi o seguinte na Caio

2.197 votos pelo sim (82,4%)

459 votos pelo não (17,2%)

A medida será válida por 60 dias. Na última semana, após reportagem do Acontece Botucatu que mostrava aglomerações na empresa, a Caio decidiu atender aos pedidos de isolamento de seus funcionários.