Consumo de carne bovina é o menor em duas décadas

Já o consumo de ovos tem batido recordes

Os brasileiros estão consumindo menos carne bovina desde 1996. É isso o que aponta o levantamento da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento). Cada cidadão consome em média 26,4 quilos por ano, o que significa 14% menos do que em 2019, por exemplo.

No entanto, as razões para a diminuição não são uma tendência para o vegetarianismo. Trata-se de um reflexo direto da pandemia e da crise econômica. Os custos mais altos dos alimentos são o principal motivo para as mudanças na dieta. Entenda mais!

Motivos para o aumento da carne

Nos últimos meses, diversos motivos ajudaram a encarecer a carne bovina. Uma peste na China prejudicou o rebanho suíno do país, fazendo com que ele aumentasse as exportações de proteína de outros lugares, incluindo o Brasil.

Por sua vez, o câmbio desvalorizado do real fez com que os custos para produzir o alimento aumentasse. Segundo dados do IBGE, o preço da carne subiu 35,7% em um ano. Já o IPCA, índice que marca a inflação, acumulou 6,76% nos últimos 12 meses, até maio de 2021.

No caso da renda, ela não acompanhou esse aumento. Na verdade, cerca de 30% da população perdeu receita por conta da pandemia. Consequentemente, o bolso mais vazio está fazendo com que os brasileiros revejam as compras, até mesmo as mais básicas.

Mudanças no prato do brasileiro

Para escapar da grande alta dos bovinos, os brasileiros estão tendo que fazer outras escolhas na hora de se alimentar. O frango pode ser uma alternativa. De acordo com este folheto do Dia, disponibilizado no Porta Folhetos com promoções de outros mercados, o pacote de um kilo de filé custa R$ 11,99. Para efeito de comparação, meio kilo de carne bovina moída na mesma rede varejista sai por R$ 13,90.

Outro produto que costuma se sobressair em épocas de crise é o ovo. Além de ser um alimento mais barato, que custa em média R$ 10 a dúzia, ele pode ser consumido de diferentes formas – cozido, frito, mexido, em omelete e muito mais.

Segundo reportagem da CNN Brasil, cada brasileiro comeu 251 ovos em 2020. Em 2000, o consumo era de 94 unidades e em 2010 subiu para 148. Por conta do novo índice, o país tem consumido acima da média mundial, que é de 230 ovos.

Ainda que os ovos e o frango tenham sofrido altas nos últimos meses, isso não se compara à carne bovina. Enquanto os bovinos subiram mais de 35%, os ovos aumentaram cerca de 20% no último ano. Então, na hora de escolher, é compreensível que o consumidor prefira o que está mais barato e oferece maior custo-benefício, já que o alimento pode ser usado de várias formas.

Quando a renda voltar a subir e os preços da carne se estabilizarem, é provável que o consumo aumente. Até porque, o que se percebeu é que a mudança de comportamento é uma consequência do mercado e não um novo estilo de vida.