Com participação de Botucatu: Embraer apresenta o E195-E2, maior avião desenvolvido no Brasil

Geral
Com participação de Botucatu: Embraer apresenta o E195-E2, maior avião desenvolvido no Brasil 07 março 2017

 

A Embraer apresentou nesta terça-feira (7), em sua fábrica em São José dos Campos (SP), o jato comercial E195-E2, o maior avião já projetado e construído no Brasil, com 41,5 metros de comprimento. A aeronave é a segunda geração do E195 e o segundo modelo da nova família E-Jets E2 a ficar pronto – a série estreou com o E190-E2, apresentado em fevereiro de 2016 e atualmente em fase de testes de voo.

“O E195-E2 tem potencial de mudar significativamente o perfil de frota das companhias aéreas em todo o mundo”, declarou John Slattery, o presidente da divisão de aviões comerciais da Embraer. Segundo ele, o jato brasileiro “tem custo de viagem 20% menor e um custo por assento similar ao de aviões maiores”, o que se encaixa nas necessidades de companhias aéreas tradicionais quanto as de baixo custo.

Comparado ao E195 atual, em operação há 10 anos, o modelo da série E2 ganhou mais 3 metros de comprimento: passou de 38,6 m para 41,5 m. O aparelho, no entanto, não é o mais pesado. O cargueiro militar KC-390 é mais curto (tem 35,2 m), mas ganha em peso: 81.000 kg contra 60.700 kg do E195-E2. O novo jato comercial da Embraer, por outro lado, também é o avião mais largo produzido no Brasil, com envergadura de 35,1 m.

Em Botucatu, a Embraer produziu uma série de componentes para as asas, fuselagem central um e dois, além dos revestimentos da fuselagem dianteira – segmento que está em fase de montagem final em São José dos Campos. Todas estas estruturas terão um alto nível de automação nos estágios de fabricação.

Segundo dados da Embraer, o E195-E2 tem alcance de 4.537 km e poderá alcançar a velocidade máxima de 870 km/h. Como sugere a fabricante, a aeronave pode transportar 146 passageiros, em uma classe, ou 118 ocupantes, separados em duas classes.

O E195-E2 chega ao mercado prometendo menores custos operacionais, em grande parte por conta dos novos motores Pratt & Whitney PW1900G. Em relação a geração atual, o novo motor do E195-E2 tem um consumo por assento 24% inferior. Já comparado ao CS 100, concorrente da Bombardier, o modelo da Embraer é até 10% mais eficiente e transporta mais passageiros – a capacidade padrão do CS 100 é de 110 ocupantes.

De acordo com o Luís Carlos Affonso, vice-presidente de operações da empresa, a família E-Jet recebeu várias tecnologias desejadas pelos clientes. “Um exemplo é a quarta geração de fly-by-wire que permitiu a redução de 20% da área de empenagem, minimizando arrasto e peso”, explicou. Ou seja, todos os controles da aeronave são eletrônicos, e não por meio de sistemas manuais, como cabos ou atuadores hidráulicos. Essa é a mais avançada tecnologia fly-by-wire desenvolvida pela Embraer: a primeira surgiu nos E-Jets, a segunda nos jatos executivos Legacy e a terceira no cargueiro militar KC-390 – a primeira geração dos E-Jets combinam comandos manuais e eletrônicos.

De acordo fabricante, o primeiro voo do E195-E2 está programado para acontecer ainda neste semestre e a estreia comercial é prevista para 2019. A companhia Azul, um dos operadores confirmados da aeronave, já comprou 30 unidades do maior modelo da família E2.

Com informações da Airway.uol

Compartilhe esta notícia
Oferecimento
BERIMBAU INST DESK
FREIRE MOTOS
Oferecimento

Veja também

Oferecimento
VISTORI
SHOPPING INSTITUCIONAL
INSTITUCIONAL ELO
EXAME TOXICOLOGICO