Carismático, Orestes era chamado de ‘O Padre Festeiro de Botucatu’

Foto Acontece Botucatu

A morte do Padre Orestes na tarde deste sábado, 28, deixa uma lacuna na Igreja Católica de Botucatu. Carismático, era figura emblemática entre os fiéis e um dos personagens mais conhecidos de Botucatu.

Orestes Gomes Filho nasceu em Bofete. Ele foi incentivado na vida religiosa pelo então arcebispo Dom Vicente Marchetti Zioni, sendo ordenado padre em dezembro de 1985.

Seu primeiro trabalho como religioso foi em Avaré. Em 1995 ele assumiu a Catedral Metropolitana de Botucatu. Foi ele que lançou a festa de Santa´Anna em 1999, considerada a principal da cidade 21 anos depois.

Através dele, conseguiu fazer com que o Dia de Sant´Anna passasse a ser feriado em Botucatu, após projeto de Lei do então vereador Valdir Duarte. Depois de oito anos foi transferido para a Igreja Nossa Senhora Menina, na Vila Maria, onde permanece até hoje. Com suas festas fez grandes transformações e benfeitorias na igreja.

São 34 anos de vida religiosa, sendo 16 deles na Vila Maria. Em 2014 ele recebeu o título de cidadão botucatuense.

“Nesses anos não sei quantas festas organizei. Sei que foram muitas, sempre com renda revertida para ser aplicada na própria comunidade. E assim gente vai caminhando. Trabalhando por amor a Deus, rezando muito e fazendo festas. E sou um padre que ficou conhecido por não usar batina no dia a dia. Na verdade, uso botina”, disse o Padre ao Acontece Botucatu em 2014.

Ainda não há informações sobre velório ou enterro do religioso. Por conta do enfrentamento ao coronavírus, está proibida a aglomerações de pessoas e seu féretro deverá ser restrito.

Veja também 

Luto: Padre Orestes não resiste e morre após queda na zona rural de Botucatu