Busscar prevê entregar primeiros ônibus no mês de abril

Após os sócios da Caio Induscar assumirem formalmente a marca Busscar e compraram os ativos da massa falida, em 12 de junho de 2017, a empresa traz a boa notícia de sua recuperação, prevendo entregar os primeiros ônibus já no mês de abril.

Sem produzir desde 2012, e após ter a falência decretada, o grupo que integra a Caio, após longa negociação judicial, assinou em 22 de março a compra da empresa catarinense por R$ 67,15 milhões, recebendo a homologação do juiz da 5ª Vara Cível de Joinville, Valter Santin Júnior, no dia 21 de março de 2017.

A boa notícia da retomada da produção vem de Joinville, através do presidente da Caio Induscar, Maurício Cunha. A Carbuss Indústria de Catarinense de Carrocerias, nova razão social da empresa, manteve o nome Busscar.

Maurício Cunha contou, em entrevista exclusiva neste sábado (27) ao jornalista Claudio Loetz​, do grupo NSC Comunicação, que o primeiro ônibus a sair da linha de produção da fábrica em Joinville irá para a Viação Paraty, operadora do transporte público de Araraquara, interior de São Paulo. A empresa araraquarense, tradicional cliente da antiga Busscar e da Caio, quer receber o carro número 001 das primeiras unidades que chegarão ao mercado em abril.

De acordo com o site NSC Total, os modelos e os estilos dos ônibus estão guardados sob absoluto sigilo industrial. O início da montagem do primeiro ônibus se deu no dia 25 de janeiro de 2018.

Na entrevista ao jornalista catarinense, Maurício Cunha revela que durante os sete meses decorridos desde que a Caio Induscar assumiu formalmente a empresa, várias ações foram promovidas pela nova direção, a começar da recuperação das instalações físicas, passando pelo maquinário, a recomposição do fornecimento de energia elétrica e a manutenção geral do espaço.

No momento, segundo Maurício, “a etapa, agora, é adaptar a área física para a produção dos ônibus convencionais e double deck”.

Ele afirma ainda que a Busscar vai fabricar quatro modelos convencionais de ônibus e o double deck, todos para o setor de rodoviários.

No momento, a empresa já tem 158 funcionários contratados para diferentes funções, com a estimativa de se chegar a um número bem maior, entre 1 mil e 1,1 mil trabalhadores até o final deste ano. As vagas estão sendo abertas gradativamente, e já há 11 mil currículos cadastrados.

A unidade em Joinville ficará a cargo do engenheiro Sérgio Souza, como gerente industrial, juntamente com o gerente administrativo e controller Sócrates Dell Omo, trazido de Botucatu (SP), sede da Caio Induscar.

Maurício Cunha diz ainda ao jornalista Loetz que o trabalho realizado hoje busca manter o que ele chama de “DNA da antiga Busscar”. E dá um exemplo: 95% das pessoas que integram a empresa são egressas da antiga Busscar.

O objetivo é produzir tanto para o mercado nacional como para exportação, para clientes da América do Sul, como Argentina, Paraguai, Chile e Uruguai.

Até o agora o grupo Caio Induscar já investiu R$ 30 milhões, com estimativa de se chegar a pelo menos R$ 100 milhões, informa Maurício Cunha ao veículo de comunicação catarinense. Esta informação foi revelada por Maurício Cunha, em entrevista ao Diário do Transporte, realizada em 4 de julho de 2017.

Fonte: Diário do Transporte