Botucatuense ex-aluna da FMVZ é docente em universidade dos Estados Unidos

Zootecnista Raquel Lourençon é professora na Lincoln University of Missouri.

A zootecnista botucatuense Raquel Lourençon teve contato com a Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da Unesp, câmpus de Botucatu, logo no início do seu curso de graduação, feito na Universidade Estadual de Maringá (UEM). Ainda no primeiro ano de curso, em 2001, ela aproveitou as férias de final de ano para fazer um estágio no setor de caprinos da FMVZ. A experiência foi tão positiva que, depois de formada, ela veio fazer seu mestrado em Botucatu, orientada pelo professor Heraldo Cesar Gonçalves, do Departamento de Produção Animal e Medicina Veterinária Preventiva da FMVZ.

Raquel também cursou seu doutorado na FMVZ, orientada pelo professor Heraldo juntamente com o professor Paulo Roberto de Lima Meirelles. Seu doutorado sanduíche, feito na Tennessee State University, dos Estados Unidos, teve orientação do professor Richard Browning.

Ela guarda boas lembranças do seu período na FMVZ e ressalta a importância da instituição na sua formação. “Além de todo o conhecimento e experiência adquiridos durante os seis anos de pós-graduação na FMVZ, o apoio e incentivo dos professores para que eu fizesse o doutorado sanduíche foi fundamental para minha carreira, pois foi assim que tive as portas abertas nos Estados Unidos. Os professores Heraldo Gonçalves, Paulo Meirelles e Margarida Barros foram os meus maiores incentivadores e eu devo muito crédito das minhas conquistas a eles. Ser ex-aluna da FMVZ também contribuiu muito no meu currículo, pois a Unesp é uma universidade de prestígio internacional. Além disso, tenho ótimas lembranças, especialmente dos dias de coleta de dados dos experimentos na Fazenda Lageado, quando toda a equipe se reunia e o trabalho era bastante divertido, sempre com muita comida e risadas”.

Após concluir seu doutorado na FMVZ, Raquel trabalhou por quase cinco anos na Langston University, em Oklahoma nos Estados Unidos, como pós-doutoranda. Em 2020, ela foi contratada como professora assistente de Zootecnia, na área de Nutrição de Pequenos Ruminantes, na Lincoln University of Missouri.

Ela destaca o trabalho coletivo como a principal característica da atividade docente nos Estados Unidos. “Em todo começo a adaptação é sempre a parte mais difícil, mas em todos os lugares em que morei e trabalhei (Tennessee, Oklahoma e Missouri) as pessoas sempre foram muito acolhedoras e me ajudaram muito. Eles prezam muito pelo trabalho em equipe e isso é uma das coisas que mais me traz satisfação. O trabalho em grupo me dá a sensação de pertencimento, algo que é muito importante para quem mora no exterior”.

Aos futuros colegas que pensam em seguir carreira no exterior, Raquel aconselha: “É importante ler muitos artigos científicos da área de interesse para se familiarizar não só com o que vem sendo estudado, mas como também com os nomes dos pesquisadores internacionais para um eventual contato. Nos Estados Unidos eles dão muito valor às referências profissionais. Apresentar boas referências pode ser até mais importante do que o próprio currículo, então é muito importante saber trabalhar em equipe, dar sempre o seu melhor e deixar boas impressões por todos os lugares que vocês passarem”.