Botucatu tem 142 mil habitantes, segundo estimativa do IBGE

 

M&M Imagens/Acontece Botucatu

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas) divulgou nesta quarta-feira, 30, a população estimada do país, estados e municípios. E de acordo com os dados apresentados, Botucatu tem uma população estimada de 142.546 habitantes. Em 2016 eram 141.032 habitantes, ou seja, crescimento de 1,7% em um ano.

O crescimento nos últimos anos é considerável, levando em conta que o censo realizado em 2010 apontava Botucatu com 115 mil habitantes. Já em agosto de 2014, o IBGE apontava para uma população estimada de 137.899 habitantes.

É importante dizer que não se trata do censo populacional, apenas uma estimativa feita anualmente. O Brasil tem 207.660.929 habitantes, segundo estimativa Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgada nesta quarta-feira (30) no Diário Oficial da União. A data de referência para o levantamento é 1º de julho.

Estimativa para cidades da região, segundo dados do IBGE

São Manuel 40.692

Itatinga 20.158

Conchas 17.523

Bofete 11.236

Areiópolis 11.107

Pardinho 6.259

Pratânia 5.126

Bauru 361.690

Estado mais populoso

São Paulo permanece como o estado mais populoso, com 45.094.866 habitantes, seguido de Minas Gerais, com 21.119.536, e Rio de Janeiro, com 16.718.956. O estado com a menor população é Roraima, que tem 522.636 habitantes.

As cidades mais populosas do Brasil 

1º SP São Paulo 12.106.920
2º RJ Rio de Janeiro 6.520.266
3º DF Brasília 3.039.444
4º BA Salvador 2.953.986
5º CE Fortaleza 2.627.482
6º MG Belo Horizonte 2.523.794
7º AM Manaus 2.130.264
8º PR Curitiba 1.908.359
9º PE Recife 1.633.697
10º RS Porto Alegre 1.484.941

Para quase um quarto dos municípios do país foram estimadas reduções populacionais

De 2016 para 2017, a taxa geométrica de crescimento populacional do país foi de 0,77%, menor do que a estimada para o período 2015/2016 (0,80%), conforme a Projeção de População 2013.

Quase um quarto dos 5.570 municípios brasileiros (24,7% ou 1.378) tiveram taxas geométricas negativas, ou seja, apresentaram redução populacional. Em mais da metade dos municípios (53,6% ou 2.986) as taxas de crescimento populacional foram inferiores a 1%, e em 258 municípios (4,6% do total) o crescimento foi igual ou superior a 2%.