Bolsonaro diz que conversou com pai de criança internada em Botucatu

Geral
Bolsonaro diz que conversou com pai de criança internada em Botucatu 23 janeiro 2022

Ministério da Saúde disse que vacina não causou reação adversa

Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse neste sábado, dia 22, que conversou por telefone com o pai da criança de 10 anos que teve arritmia cardíaca 12 horas depois de receber a vacina contra a covid-19. A criança está internada na Unimed de Botucatu.

“Conversei com o cabo da PM, pai daquela menina de São Paulo, Lençóis Paulista. Eu não vou revelar a conversa. E nem gravei. Mas como pai, o que ele falou para a gente é preocupante. Agora, foi em função da vacina ou não foi?”, escreveu.

Uma investigação do governo do Estado de São Paulo mostrou que a criança tem uma doença congênita rara, desconhecida pela família até então, que provocou o quadro clínico. Ou seja, não teria relação com a vacina.

Na quinta-feira, dia 20, o Ministro da Saúde esteve em Botucatu e conversou com a família e corpo clínico do hospital. O Ministério endossou a nota técnica da Vigilância Estadual e também afirmou que o caso não teve relação com a família.

Ela seria submetida a um exame de ressonância magnética, que acabou sendo adiado para a próxima segunda-feira (24) por recomendação do médico anestesista. “Estou aguardando ansiosamente o resultado desse exame para eu poder cuidar da minha filha e ver o caminho que vamos seguir. Só essa ressonância que ela fará na segunda-feira poderá nos dar o diagnóstico final”, afirma o pai da criança, o policial militar Claudimar Petenuci.

O evento adverso pós-vacinação foi descartado após análise do Centro de Vigilância Epidemiológica da pasta, realizada por mais de dez especialistas. “Não existe relação causal entre a vacinação e o quadro clínico apresentado, portanto, o evento adverso pós-vacinação está descartado”, diz a conclusão do relatório.

O que ela teve, segundo o Estado de SP e Ministério da Saúde

A análise apontou que o episódio foi desencadeado por uma doença congênita rara, a síndrome de Wolff-Parkinson-White, até então desconhecida pela família.

“A síndrome de Wolff-Parkinson-White, até então não diagnosticada e desconhecida pela família, levou a criança a ter uma crise de taquicardia, que resultou em instabilidade hemodinâmica”, disse a Saúde, citando a investigação feita pelo governo local.

A criança permanece internada na UTI Pediátrica, mas o estado de saúde é considerado estável. Em nota, a Unimed de Botucatu informou que todos os dados de exames e diagnósticos estão sendo fornecidos às autoridades competentes para investigação.

Segundo Petenuci, a visita dos ministros a Lençóis Paulista foi precedida de uma ligação de Bolsonaro. “O presidente me ligou e perguntou se eu poderia receber o ministro Queiroga. Ele e Damares estiveram com a gente e também fizeram uma visita à minha filha”, disse Petenuci. Aos pais da criança, Queiroga teria informado que o Ministério da Saúde acompanhará de perto o caso.

Com informações da Folha Pressa e Poder 360

Compartilhe esta notícia
Oferecimento
BERIMBAU INST DESK
Oferecimento