Ataques a bancos e explosões em caixas eletrônicos crescem 71% no Estado de SP em 2018

O número de ataques a bancos e a caixas eletrônicos com explosivos no Estado de São Paulo cresceu 71% no primeiro trimestre deste ano em comparação ao mesmo período de 2017, segundo apontam dados exclusivos do Centro Integrado de Inteligência da Secretaria da Segurança Pública de São Paulo (CIISP) obtidos pela GloboNews por meio da Lei de Acesso à Informação. Houve um salto de 24 para 41 casos no período.

O aumento dos ataques com explosivos neste ano reverte uma tendência que existia de queda desse tipo de crime no Estado, como indicam os dados oficiais. No primeiro trimestre de 2015, quando o CIISP começou a tabular essas ocorrências, o Estado de São Paulo registrou 83 casos. Ao longo dos três primeiros meses de 2016, houve 32 ocorrências, o que representa uma queda de 61% em um ano.

Número de ocorrências ano a ano

1º trimestre de 2015 – 83

1º trimestre de 2016 – 32

1º trimestre de 2017 – 24

1º trimestre de 2018 – 41

Entre janeiro de 2015 e março de 2018, o CIISP registrou 545 ataques a bancos e a caixas eletrônicos no Estado. A estatística abrange todo tipo de ataque a agências bancárias e a terminais de autoatendimento instalados fora dos bancos, em locais como supermercados, shopping centers e postos de gasolina, por exemplo.

Ainda de acordo com os dados, desse total, mais de 90% dos casos ocorreram durante a madrugada, entre a meia-noite e as 6h, e 83% aconteceram fora da cidade de São Paulo.

De acordo com José Vicente da Silva Filho, ex-secretário nacional de Segurança Pública, a concentração de casos durante a madrugada e fora da capital se deve a uma tática de criminosos especializados nesse tipo de crime. “Eles procuram evitar aparatos policiais maiores, como existem na capital. Sem falar que, durante a madrugada, antes e até depois do crime, eles circulam por ruas sem movimento, e com menor risco de serem visto por eventuais testemunhas”, explicou.

A Secretaria da Segurança Pública informou, por meio de nota, “que as ações desenvolvidas pelas polícias paulista resultaram na estabilização dos ataques a caixas eletrônicos em Guarulhos.

De janeiro a maio deste ano houve apenas um caso, mesmo número registrado no mesmo período de 2017. No Estado, em maio, houve redução de 20% das ocorrências. A redução é observada continuamente nos últimos anos e chega a 89,4% quando comparada com 2013.

O policiamento ostensivo e preventivo é desenvolvido obedecendo o planejamento estratégico dinâmico e a análise dos índices criminais de cada região. Por fim, cabe lembrar que a SSP liderou a discussão sobre o combate a este tipo de crime com outras instituições como a Febraban, o Exército e a União. Dentre as medidas, há a decisão do Exército de obrigar as empresas a terem escolta privada para evitar o extravio de dinamite e o mapeamento georreferenciado dos caixas eletrônicos para dar maior eficiência ao policiamento”, diz o texto.

Portal G1