APL de Botucatu é reconhecido como o primeiro Cluster de Biotecnologia do Estado de SP

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo – SDE – publicou na quinta-feira, 11 de março, o resultado do 2° Edital de Chamamento Público objetivando o processo de reconhecimento de arranjos produtivos locais (APLs), aprovando o reconhecendo o APL deBiotecnologia de Botucatu. O APL de Biotech, ClusterBiotch Botucatu, é o primeiro APL de Biotecnologia reconhecido pelo Governo do Estado, integrado na Rede Paulista de APLs.  A conquista teve articulação coordenada pelo Parque Tecnológico Botucatu.

Para o diretor executivo do Parque, Carlos Alberto Costa, esse reconhecimento pelo Governo do Estado traz diversos benefícios e oportunidades. Entre as principais, ele elenca: maior visibilidade para as empresas; o acesso aos editais de fomento do programa de apoioaos APLs da Rede Paulista; compartilhamentos de laboratórios e equipamentos, integração das empresas do APL com às universidades e institutos de pesquisa do Brasil e do exterior.

“Para o Parque Tecnológico Botucatu é uma grande honra ter coordenado esse trabalho que vai trazer reconhecimento e muitos benefícios a nossas empresas. Com o reconhecimento do Cluster Biotech, vamos potencializar ainda mais uma das principais vocações do nosso ecossistema de inovação”, avalia Carlos Costa.

O diretor científico do Parque Tecnológico Botucatu, professor Paulo Ribolla, lembra que as empresas que fazem parte do Cluster de Biotech já se movimentam há mais de um ano em busca deste reconhecimento. Ele comenta que tem havido uma importante integração das empresas com as universidades e institutos de pesquisas com foco em fortalecer o setor na região.

“Costumamos brincar que, do mesmo jeito que existe o Vale do Silício (apelido dado a uma região da Califórnia, nos Estados Unidos, onde estão situadas várias empresas de alta tecnologia) poderemos ter a Cuesta da Biotecnologia em nossa região. Temos tudo para isso, várias empresas do setor, a Unesp com curso de graduação e pós-graduação, a Fatec, institutos de pesquisa, que, juntos, podem formar esse centro de referência. Nesse sentido, essa formalização é muito importante”, declara.

Sobre os Clusters Empresariais

Os Arranjos Produtivos Locais (APLs) ou Clusters Empresariais são concentrações de empresas que atuam em atividades similares ou relacionadas, que, sob uma estrutura de governança comum, mantém vínculos de articulação, interação, aprendizagem e cooperação entre si e com outras entidades públicas e privadas.

O principal objetivo de um Arranjo Produtivo Local é dinamizar as estruturas empresariais gerando emprego e renda. Sua atuação tem os seguintes objetivos:

– Desenvolvimento a partir das condições econômicas, sociais e institucionais locais;

– Explorar as potencialidades locais;

– Fortalecer as empresas já existentes;

– Fomentar o empreendedorismo e a inovação;

– Empregar formas descentralizadas de promoção do desenvolvimento.