Santos administra a vantagem do 1º jogo, empata com o RB e avança às semifinais

Por Giovanni Luque

Santistas juntos comemoram a classificação – Foto Twitter oficial do Santos Futebol Clube – @SantosFC

No último sábado, Santos e Red Bull Brasil se enfrentaram no Pacaembu, pelo 1º jogo das quartas de final do Paulista. Em cima desde o 1º minuto, a equipe do Litoral criou boas chances e chegou a ter um gol anulado de Diego Pituca. Também o Red Bull, principalmente no 1º tempo, exigiu intervenções importantes de Vanderlei. O confronto terminou 2 X 0 para o Peixe, com gols de Carlos Sánchez e Diego Pituca.

O jogo da volta, então, tinha tudo para ser melhor do que a ida. Era jogo decisivo, o Moisés Lucarelli lotado (é verdade que predominavam os santistas, mas estava cheio) e o time da casa precisava tirar dois gols de vantagem. Acrescente a isso as duas grandes campanhas dos times na 1ª fase (75% de aproveitamento pro RB e 64% para o Santos) e espere um grande espetáculo.

Momento de reflexão: Caro leitor, você já teve a experiência de aguardar muito por algo e, “na hora do ‘vamo vê’”, percebeu que a expectativa era maior que a realidade? Pois bem. Foi praticamente isso o que aconteceu nesta noite de 26/03, em Campinas.

O Santos, mesmo com a vantagem adquirida no 1º duelo, partiu pra cima e criou algumas boas oportunidades. Diego Pituca, Eduardo Sasha, Carlos Sánchez e Jean Mota, até os 30 minutos, pararam nas importantes defesas do ex – corintiano Júlio César, que, novamente, se apresentou bem.

Enquanto isso, além de uma finalização perigosa do lateral Aderlan, o Toro Loko teve uma grande oportunidade, daquelas que mudariam a história da partida, na 1ª etapa. Deivid recebeu um passe de Roberson e, cara a cara com Vanderlei, furou a bola e perdeu a chance mais clara de marcar.

Entretanto, se o 1º tempo não foi tão ruim, o 2º compensou. Para o lado dos vermelhos, uma finalização de Osman, que parou no travessão. Para o lado dos alvinegros, um chute pra fora de Rodrygo e outro de Felipe Aguilar defendido pelo goleiro. Só isso.

Por mais que os dois técnicos (Sampaoli e Antônio Carlos Zago) esbravejassem na beira do campo e tentassem motivar seus jogadores, as equipes não conseguiram mais criar e o placar terminou assim como começou.

Como é próprio de todos os esportes, nem sempre aquele que construiu uma trajetória melhor durante o campeonato é quem vai vencer. Apesar da também boa campanha do Peixe, obtendo apenas 3 derrotas em 12 jogos, a equipe da franquia Red Bull surpreendeu e conseguiu o melhor desempenho no Paulistão, deixando todos os grandes do Estado para trás.

Com o resultado construído anteriormente, o Peixão se classificou para a semifinal e, agora, enfrentará o rival Corinthians, ainda com data a definir. Por conta de ser a 2ª melhor campanha entre os classificados, o Santos decidirá o confronto em casa, com o apoio do seu torcedor.

Giovanni Luque é estudante de jornalismo e colaborador do Acontece Botucatu