Racing: os detalhes do adversário do Flamengo no mata-mata da Libertadores

Time é comandado por discípulo de Sampaoli e tem estilo ofensivo no DNA

Um dos grandes favoritos ao título da Libertadores é o Flamengo. Atual campeão do torneio, no time comandado por Jorge Jesus, o rubro-negro carioca vai começar sua campanha no mata-mata da competição com uma parada dura. No sorteio das oitavas de final, o time brasileiro vai encarar o Racing, da Argentina.

O clube argentino já conquistou a Libertadores, mas faz tempo: foi em 1967. No mesmo ano, o time conquistou a taça Intercontinental, o antigo mundial de clubes, que mudou de formato a partir 2005, com representantes de todos os continentes.

Ainda que os títulos tenham rareado na história do Racing, enfrentar um time argentino é sempre complicado, sobretudo em um momento decisivo da Libertadores. Entram em campo não só os onze jogadores, mas toda rivalidade e catimba que marcam os duelos entre brasileiros e hermanos.

Analistas acreditam que o Flamengo pode enfrentar um time que atua de maneira semelhante a sua. O Racing é comandado por um treinador que bebe na mesma fonte que Domènec Torrent, o técnico rubro-negro.

O nome do comandante é Sebastian Beccacece, de 39 anos. Ele é fã de Pep Guardiola e Marcelo Bielsa e ganhou notoriedade como auxiliar de outro nome fortemente influenciado pela dupla: Jorge Sampaoli.

Além disso, Beccacece é especulado como possível treinador do Palmeiras, que ainda procura um técnico após a saída de Vanderlei Luxemburgo. Você pode acompanhar todas as novidades sobre as notícias do mercado no Jornal Esportes.

Segundo o jornalista Nicolás Montalá, repórter que cobre o dia-dia do Racing no jornal Olé, o maior período dedicado ao futebol na América Latina, Beccacece é admirador de Guardiola e Bielsa, deste estilo.

“Ele prioriza as formas em vez do resultado. Perdeu apenas uma partida desde que chegou. Pelos números, é fantástico. Deu uma identidade clara à equipe com um estilo ofensivo”, afirmou o jornalista ao site globoesporte.com.

A história de Sebastián Beccacece se confunde com a de Jorge Sampaoli até a Copa do Mundo da Rússia. O técnico do Racing foi auxiliar do treinador do Galo na competição, mas ambos acabaram se afastando após o torneio.

O Racing tem premissas básicas em campo:  futebol ofensivo, saída de bola curta, linha alta de defesa e muita posse de bola. Até o momento, Beccacece soma 14 jogos, com 9 vitórias, 4 empates e apenas 1 derrota. Foram 21 gols marcados e 12 sofridos.

Desde a retomada do futebol, o Racing atuou apenas pela Libertadores. Em quatro jogos, venceu três e perdeu um. Terminou em segundo lugar no Grupo F, com 15 pontos, mesmo número do Nacional, do Uruguai, que ficou em primeiro por ter marcado um gol a mais.