Neymar é intimado a depor à Polícia Civil do RJ por suspeita de crime virtual

Foto Jornal Extra Online – Globo

O atacante Neymar foi intimado a depor na Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI) do Rio de Janeiro para prestar esclarecimentos sobre a divulgação de conversas e imagens íntimas que seriam de uma mulher de 26 anos que o acusa de estupro.

A intimação foi entregue ao jogador nesta segunda-feira (3), na Granja Comary, onde ele está concentrado com Seleção Brasileira, que vai disputar amistoso contra o Catar na quarta-feira (5), em Brasília. O depoimento do jogador está previsto para a próxima semana na sede da delegacia especializada, na Zona Norte do Rio.

A Polícia Civil do Rio de Janeiro apura se Neymar cometeu crime virtual ao divulgar conversas nas quais há imagens íntimas de uma mulher que o acusou, em São Paulo, de ter sido forçada a ter relações sexuais com ele. O suposto estupro teria sido cometido em Paris, no dia 15 de maio, mas a denúncia só foi feita no Brasil no último dia 31.

A divulgação feita por Neymar ocorreu após se tornar pública a denúncia de estupro. O jogador já estava concentrado na Granja Comary quando usou seu perfil em uma rede social para se defender da acusação feita pela mulher. Em um vídeo, ele afirmou que a relação foi consentida e mostrou conversas entre os dois.

Crime prevê pena de prisão

Neymar é investigado pela polícia fluminense por crime previsto no artigo 281-C do Código Penal diz o seguinte:

Oferecer, trocar, disponibilizar, transmitir, vender ou expor à venda, distribuir, publicar ou divulgar, por qualquer meio – inclusive por meio de comunicação de massa ou sistema de informática ou telemática -, fotografia, vídeo ou outro registro audiovisual que contenha cena de estupro ou de estupro de vulnerável ou que faça apologia ou induza a sua prática, ou, sem o consentimento da vítima, cena de sexo, nudez ou pornografia.

O crime prevê pena de prisão de um a cinco anos, com aumento de até 2/3 da pena caso o crime seja praticado por agente que mantém ou tenha mantido relação íntima de afeto com a vítima ou com o fim de vingança ou humilhação.

Como as imagens divulgadas por Neymar em seu Instagram foram editadas (algumas partes íntimas foram cobertas, assim como horários, datas e até nomes), o telefone celular do atacante terá de passar por uma perícia técnica.

Fonte: Portal G1