Mesmo com um a mais, Palmeiras vai mal e empata em 1 a 1 com o Mirassol

Por Giovanni Luque

Gómez comemora seu gol – Foto: Instagram oficial do Gustavo Gomez – @gustavogomez462

O Verdão, vindo de grande vitória, na Colômbia, contra o Junior Barranquilla, pela primeira rodada da Libertadores, desperdiçou a chance de se classificar antecipadamente no Paulistão.

Com o perdão das brincadeiras, havia “um sol pra cada um” em Mirassol, na tarde deste sábado e o jogo, que tinha tudo pra ser quente, foi bem morninho. Com um time totalmente diferente do titular em Barranquilla (só permaneceram Gustavo Gómez e Borja), o Palmeiras prometia intensidade e busca constante pelo gol.

Porém, não foi bem isso que aconteceu. Como já era de se esperar, o time da capital teve muito mais posse de bola (66 a 34%), mas esse domínio não se converteu em grandes chances de gols, ocorrendo, na verdade, o contrário. Fazendo uma comparação, o Porco teve, de suas 13 finalizações na partida, apenas 3 corretas, enquanto o Mirassol, que se defendeu em boa parte do jogo, obteve quase o mesmo índice: 2 chutes na direção do gol.

A primeira oportunidade de perigo do Alviverde veio com Lucas Lima, aos 11, em um cruzamento que cairia dentro do gol, se não fosse a defesa do jovem Matheus Aurélio. Três minutos após esse lance, o, novamente, muito criticado Borja recebeu passe em profundidade de Lucas Lima e parou em mais uma grande defesa do goleiro. Além desses dois lances e de uma falta perigosa cobrada por Lucas Lima, outro momento interessante do primeiro tempo foi a bronca de Felipão na equipe do Premiere, que gravou as instruções do técnico aos jogadores durante a parada técnica.

No início da segunda etapa, a partida melhorou um pouco, tanto é que os dois gols e a expulsão aconteceram antes mesmo de completarem – se 10 minutos de bola rolando.

Pelo lado do Palmeiras, o centroavante Borja sofreu pênalti, que o zagueiro Gustavo Gómez bateu no meio do gol, marcando seu quarto tento com a camisa palestrina. Já o time da casa, que teve o centroavante Zé Roberto expulso, aos 7 minutos, chegou ao empate aos 9, em passe de Rodolfo e conclusão de Carlão sem chances para o guarda – metas. Depois disso, o Mirassol só chegou em falta cobrada pelo ex – palmeirense Maílton e defendida por Prass.

O Verdão, em superioridade numérica, não conseguia criar perigo e parava na forte marcação do Leão, montada pelo técnico Moisés Egert. Já no fim, aos 46, surge a chance da vitória para os palmeirenses. Moisés dá belo passe para Carlos Eduardo e o atacante, muito criticado pela torcida, fica cara a cara com o goleiro adversário, mas finaliza para longe do gol, consolidando o empate por 1 a 1.

Para o torcedor palmeirense, o que pode ser tirado de positivo dessa fraca atuação é a boa estreia do excelente meia Zé Rafael, que realizou sua primeira partida como titular e, enquanto esteve em campo, se apresentou bem para o jogo.

Na próxima rodada, o Palmeiras, praticamente classificado, tem clássico contra o São Paulo no Pacaembu. Já o Mirassol, ainda lutando pela permanência na A1, joga em casa no próximo domingo, no confronto direto contra o Botafogo, pela 11ª rodada.

 

Giovanni Luque é estudante de jornalismo e colaborador do Acontece Botucatu