Em jogo muito movimentado, São Paulo e Ferroviária ficam no 1 a 1

Por Giovanni Luque

Hernanes, Léo e Arboleda se abraçam no empate – Foto Instagram oficial do Arboleda – @robertharboleda4

O estádio do Pacaembu foi palco, na noite do último sábado, de uma grande partida envolvendo os segundos colocados dos grupos D e C, respectivamente, São Paulo e Ferroviária.

O técnico Vagner Mancini, pela terceira vez consecutiva, repetiu a formação com 3 zagueiros, somente alterando, em relação à última partida, Helinho por Gonzalo Carneiro. Porém, contra a Ferrinha, a ideia do treinador não funcionou e o Tricolor foi pressionado pelo adversário durante os primeiros 20 minutos de jogo.

Nessa pressão, o time de Araraquara, que já havia obrigado Tiago Volpi a fazer duas grandes defesas, em finalizações de Anderson Uchôa e Lúcio Flávio, saiu na frente com um lindo gol de Léo Artur. O competente meia ex – corinthiano recebeu passe dentro da área, ajeitou o corpo e bateu por cobertura, sem chances para o goleiro.

Aos 28 minutos, percebendo a problemática do time, Mancini sacou o zagueiro Anderson Martins e colocou o atacante Helinho para fazer dupla com Antony na armação da equipe, além de recuar os laterais para dar maior segurança na defesa. Entretanto, num primeiro momento, a mudança não foi tão eficiente.

Se o primeiro tempo foi de maior domínio e criação de jogadas por parte do time do interior, o segundo tempo foi totalmente o oposto. O Tricolor do Morumbi voltou muito melhor e, logo no primeiro minuto, o ídolo Hernanes marcou seu segundo gol neste retorno e empatou a partida. Vale citar também que o Profeta, que voltou muito abaixo do nível físico, está recuperando a boa e velha forma, aproveitando as semanas cheias de treinamento.

A equipe dirigida pelo técnico Vinícius Munhoz e comandada, dentro de campo, pelo bom volante Tony, recuou muito e passou a se defender, tentando garantir o empate. Com isso, o time da capital, que chegou a marca de 70% de posse de bola, passou a atacar e criou diversas chances de perigo, animando os quase 10.000 são paulinos presentes no Paulo Machado de Carvalho, o “Pacaembu”.

Carneiro e Hernanes, que pararam na trave, e Antony e Helinho foram os responsáveis pelas principais oportunidades do hexacampeão brasileiro. Na segunda etapa, Tiago Volpi não foi acionado na parte defensiva e se tornou, praticamente, mais um zagueiro da equipe, fazendo lançamentos para o ataque quase na linha do meio de campo.

O volume de jogo do Soberano foi bastante interessante, entretanto, mesmo com os treinos de finalização realizados no decorrer da semana, a equipe atingiu 15 finalizações equivocadas, enquanto apenas 8 tiveram o caminho do gol. Apesar da vitória contra o Bragantino e do bom segundo tempo contra a Ferrinha, o Clube da Fé ainda tem muito a melhorar.

Na próxima rodada, o São Paulo, único dos grandes com situação complicada na classificação, tem clássico contra o Palmeiras no sábado. O jogo será no Pacaembu devido às fortes chuvas que assolaram o Morumbi. Já a Ferroviária volta a Araraquara para receber o São Caetano, na próxima sexta feira, pela 11ª rodada.

 

Giovanni Luque é estudante de jornalismo e colaborador do Acontece Botucatu