Botucatuenses superam adversidades e disputam Prova Internacional de resistência na Serra Catarinense

Batalha vencida: Alexandre Giandoni, Bruno Piraglia Fernandes e Tiago Rogani superam adversidades no sul do país

Os botucatuenses Alexandre Giandoni, Bruno Piraglia Fernandes e Tiago Rogani participaram neste sábado, dia 01, de uma das mais difíceis provas da América do Sul, a desafiadora e internacional ‘Mizuno Uphill Marathon 2018’. A competição é realizada na Serra do Rio do Rastro, um dos pontos bonitos e adversos do sul do país.

Giandoni e Piraglia correram a maratona, com largada às 07h00. Já Rogani fez o percurso de 25km, com largada às 16h00. A Maratona tem o tempo limite de 6 horas e os 25 km com o limite de 4 horas. Quem não cumprir esse tempo é eliminado, mas quem completa no tempo estipulado pela direção da prova recebe o apelido de ‘ninja runners’. E o trio de Botucatu conseguiu.

Serra do Rio do Rastro é um dos pontos mais bonitos do Brasil

A prova de Maratona teve largada em Treviso e a corrida de 25 km começou na cidade de Lauro Müller, ambas com chegada em Bom Jardim da Serra, no mirante da Serra do Rio do Rastro, uma das mais espetaculares do mundo. A corrida de resistência atrai todos os anos milhares de corredores do país e estrangeiros.

A elevação máxima é de 1.419 metros, o que dificulta ainda mais a ação do corredor que pode optar por correr 25 km ou 42 km. Todos os anos muitos atletas são castigados pelo percurso e não completam o percurso, sendo uma pressão a mais para os corredores.

Alexandre Giandoni participou pela terceira vez da prova. Lá da Serra Catarinense ele relatou por telefone ao Acontece Botucatu a dificuldade que enfrentou, especialmente as condições climáticas adversas.

“Muito frio e muita chuva, o que dificultou muito. A energia dos outros corredores e até mesmo a energia que parece sentir e receber da Serra é alucinante, ou seja, a corrida mais desafiadora sempre. A estratégia foi sair em um ritmo confortável e manter. Não adianta queimar energia antes, sendo que os últimos 6 km da serra são mais íngremes, com inclinação de até 59,8%”, disse Alexandre Giandoni, que em Botucatu corre pela equipe “Sem Fingimento”, com apoio da ATFPMB.

Para participar da prova existe primeiro uma pré-inscrição do atleta. Vencida essa etapa a organização define os participantes via sorteio, ou seja, a prova é feita apenas para quem realmente possui resultado ou condição de desafiar as curvas da serra. Parabéns aos atletas de Botucatu.