Unesp implanta o gerenciamento de serviços de bibliotecas em nuvem

Universidade Estadual Paulista é a primeira do Brasil a implantar a plataforma Alma, a mesma utilizada por Harvard

No caminho das tendências contemporâneas de revitalização dos espaços das bibliotecas, a Universidade Estadual Paulista (Unesp) põe em funcionamento nesta semana, a partir desta quarta-feira (5), um novo sistema de gerenciamento dos serviços das 34 bibliotecas, o que permitirá o armazenamento em nuvem dos metadados de todo o acervo bibliográfico (impresso e eletrônico) e o acesso ao acervo digital.

Além de unificar o gerenciamento do acervo, a recém-adquirida plataforma Alma permite um controle maior sobre os processos de aquisição, catalogação e circulação (empréstimos) de livros físicos, digitais e outros tipos de conteúdo, simplifica o fluxo de trabalho dos bibliotecários e dos assistentes de bibliotecas e também abre caminho para uma aproximação mais forte das bibliotecas com o ensino e a pesquisa.

A plataforma Alma é a mesma utilizada pela Universidade de Harvard, dos Estados Unidos, uma das mais conceituadas do mundo, e constitui uma nova geração de sistemas para bibliotecas conhecida por Library Service Plataform (LSP), já desenvolvida para trabalhar com os conteúdos digitais, como e-books e videoaulas. O sistema anterior, Aleph, estava em uso na Unesp desde 1997.

“A biblioteca do século XXI deixa de ser somente um espaço para abrigar prateleiras com materiais físicos para tornar-se um centro de recursos de aprendizagem e pesquisa. É uma reconceituação do espaço”, afirma ao Portal da Unesp Flávia Maria Bastos, coordenadora da Coordenadoria Geral de Bibliotecas da universidade.

“O sistema anterior, com o surgimento de muitos conteúdos digitais, dependia constantemente de atualizações e, em muitos casos, trabalhávamos com sistemas externos, como planilhas eletrônicas, para controlar assinaturas das bases de dados de e-books e periódicos em formato eletrônico. O [sistema] Alma permitirá fazer o gerenciamento dentro dele e, como simplifica o fluxo de trabalho, possibilitará que os bibliotecários se voltem para outros serviços, apoiando as novas demandas de ensino e de pesquisa”, completa.

Modernização

A modernização do sistema de gerenciamento dos serviços das 34 bibliotecas da Unesp foi concebida inicialmente em 2017 pela Coordenadoria Geral de Bibliotecas (CGB) e, após estudos preliminares, o acordo que a viabilizou contou com pareceres favoráveis da Pró-Reitoria de Graduação (Prograd) e da Coordenadoria de Tecnologia da Informação (CTInf), além do apoio dos gabinetes do reitor e do vice-reitor. A Unesp é a primeira universidade do Brasil a implantar a plataforma Alma.

“A aquisição do [sistema] Alma é marco dentro da nossa proposta de revitalizar e reconceituar as bibliotecas da Unesp, seguindo as tendências contemporâneas de transformação desses espaços”, afirma ao Portal da Unesp o reitor da universidade, professor Sandro Roberto Valentini.

A implantação do sistema Alma foi iniciada no início deste ano, com a primeira capacitação realizada na Universidade pela empresa ProQuest Ex Libris, detentora da plataforma. No período de implantação, que durou seis meses, participaram desse processo bibliotecários das unidades de Presidente Prudente, Rio Claro, Rosana, São José do Rio Preto e Botucatu, além dos funcionários da Coordenadoria Geral de Bibliotecas.

Esse grupo esteve à frente da formação e a levou para cerca de 250 servidores das Unidades. Foram usados para a capacitação os recursos do Google Sala de Aula (Classroom), ferramenta disponível para a comunidade da Unesp.

“O Alma é um sistema que facilita tanto a interação dos usuários com os serviços da biblioteca quanto o trabalho dos bibliotecários. É um avanço tremendo em termos de gerenciamento de conteúdo, que vamos sentir com o tempo, à medida que nos familiarizarmos com o novo sistema”, diz ao Portal da Unesp o professor José Paes de Almeida Nogueira Pinto, assessor de gabinete da Reitoria, que acompanhou de perto a aquisição do novo sistema. “Gostaria de parabenizar a CGB, em nome da Flávia Bastos, por este grande avanço em termos de tecnologia da informação para a Unesp”, afirma o docente.

Pioneirismo

Presidente global da Ex Libris, divisão dentro da ProQuest Ex Libris, detentora da plataforma Alma, Bar Veinstein deu as “boas-vindas” à Unesp e destacou o pioneirismo da universidade no uso desse sistema no Brasil.

“Temos o prazer de dar as boas-vindas à Unesp, juntamente com suas 34 bibliotecas, como a primeira universidade brasileira a usar o [sistema] Alma, que apoiará o acesso de alunos e professores a todos os recursos da biblioteca, onde quer que eles estejam localizados, e ajudará as bibliotecas da Unesp a desvendar a crescente demanda por serviços digitais que começou com a pandemia de COVID-19. Aguardamos ansiosamente as contribuições da Unesp como membro da comunidade global do Alma”, salienta Bar Veinstein ao Portal da Unesp.

Avanço pedagógico

Um dos caminhos abertos com o novo sistema de gerenciamento dos serviços das bibliotecas será o fortalecimento da ligação desses espaços com o ensino e a pesquisa. Os professores, por exemplo, poderão ter a sua bibliografia básica do curso no Alma e os estudantes, buscar o conteúdo que desejam pelo nome da disciplina ou pelo nome do docente, bastando o professor enviar o arquivo da bibliografia atualizada para a biblioteca.

“As tecnologias adquiridas são consideradas disruptivas. O docente, por exemplo, poderá incluir em suas bibliografias vídeos, áudios, imagens ou outros materiais que desejarem vincular ao sistema da biblioteca. A implantação deste novo sistema contribuirá para otimizar e agilizar ainda mais os serviços prestados pela biblioteca”, afirma o vice-reitor da Unesp, professor Sergio Nobre, ao Portal da Unesp.

A rede de bibliotecas da Unesp oferece acesso a um acervo com cerca de 2,9 milhões de conteúdos acadêmico-científicos. Para a professora Gladis Massini-Cagliari, pró-reitora de graduação da Unesp, a aproximação das bibliotecas com o ensino é fundamental.

“A plataforma vai permitir inserir a bibliografia básica das disciplinas (no sistema das bibliotecas), facilitando o acesso de docentes e discentes a ela, e também acrescentar na nuvem outros tipos de materiais, além dos livros e dos materiais bibliográficos. Essa aproximação das bibliotecas com a graduação, do ponto de vista pedagógico, é um grande avanço”, diz Gladis Massini-Cagliari ao Portal da Unesp.

Em paralelo aos preparativos para a implantação da plataforma Alma na Unesp, já pensando na importância de articular o acervo bibliográfico com as necessidades da Universidade, a Coordenadoria Geral de Bibliotecas cruzou dados dos livros impressos mais emprestados dos últimos anos com as principais bases de dados de e-books em português, de maneira a concentrar as novas assinaturas dos e-books nos títulos mais procurados pelos estudantes.

Serviços digitais

Com a eclosão da pandemia de COVID-19 e a consequente suspensão das atividades presenciais na Unesp, que ocorreu em 17 de março, a demanda pelos serviços digitais das bibliotecas aumentou bastante, mas o espaço virtual das bibliotecas estava preparado para absorvê-la.

“Fizemos em 2019 um estudo em relação à assinatura das principais bases de e-books em português para a graduação, o que foi muito importante para enfrentar esse período de pandemia, como as bases Pearson e Minha Biblioteca, que incluem títulos de diversas áreas do conhecimento. Tivemos picos de acessos, principalmente nos títulos de Medicina e Saúde”, diz Flávia Bastos.

“Essas últimas escolhas, inclusive com a modernização do sistema de gerenciamento dos serviços das bibliotecas, mostram que estamos no caminho certo”, pontua a coordenadora.