Projeto Bem-vindo à Selva do Colégio La Salle promove a prática interdisciplinar entre os estudantes

O Colégio La Salle de Botucatu realizou nos últimos dias o projeto “Bem-vindo à Selva”. Elaborado de maneira interdisciplinar com os alunos dos Ensino Fundamental 2 e Ensino Médio, o projeto faz parte de uma série de atividades voltadas à experiência prática de vivência interdisciplinar e acadêmica. Os trabalhos foram elaborados e apresentados em formato de Congresso On-line, com público e avaliadores convidados.

“Trata-se de uma mostra de conhecimentos com objetivo de trabalhar a conscientização da preservação do meio ambiente, de florestas e sustentabilidade, assim como a introdução ao universo acadêmico. Os estudantes desenvolveram suas apresentações inserindo aspectos da matemática, geografia e história, por exemplo, todas essas disciplinas abordadas em um único trabalho, concretizando então a prática interdisciplinar das matérias exigidas hoje nos grandes vestibulares e universidades do país e do mundo”, disse o diretor do colégio, Jonas Cerbaro.

“O projeto é a prática do protagonismo de nossos estudantes que brilhantemente demonstraram seus incríveis potenciais”, completou o diretor. O Colégio La Salle completou 60 anos de trabalho em Botucatu e está aberto para que os pais possam conhecer a estrutura. Os agendamentos podem ser feitos pelo WhatsApp (14) 99199-8890.

E os pequenos não ficaram de fora. Os alunos da Educação Infantil e Fundamental 1 também trabalharam na prática, com várias atividades dentro do Festival de Leitura, confira:

Educação Infantil

Desde o nascimento, as crianças participam de situações comunicativas cotidianas com as pessoas com as quais interagem. As primeiras formas de interação do bebê são os movimentos do seu corpo, o olhar, a postura corporal, o sorriso, o choro e outros recursos vocais, que ganham sentido com a interpretação do outro.

Progressivamente, as crianças vão ampliando e enriquecendo seu vocabulário e demais recursos de expressão e de compreensão, apropriando-se da língua materna, que se torna, pouco a pouco, seu veículo privilegiado de interação.

Na Educação Infantil, é importante promover experiências nas quais as crianças possam falar e ouvir, potencializando sua participação na cultura oral, pois é na escuta de histórias, na participação em conversas, nas descrições, nas narrativas elaboradas individualmente ou em grupo e nas implicações com as múltiplas linguagens que a criança se constitui ativamente como sujeito singular e pertencente a um grupo social.

Desde cedo, a criança manifesta curiosidade com relação à cultura escrita: ao ouvir e acompanhar a leitura de textos, ao observar os muitos textos que circulam no contexto familiar, comunitário e escolar, ela vai construindo sua concepção de língua escrita, reconhecendo diferentes usos sociais da escrita, dos gêneros, suportes e portadores.

Na Educação Infantil, a imersão na cultura escrita deve partir do que as crianças conhecem e das curiosidades que deixam transparecer. As experiências com a literatura infantil, propostas pelo educador, mediador entre os textos e as crianças, contribuem para o desenvolvimento do gosto pela leitura, do estímulo à imaginação e da ampliação do conhecimento de mundo.

Além disso, o contato com histórias, contos, fábulas, poemas, cordéis etc. propicia a familiaridade com livros, com diferentes gêneros literários, a diferenciação entre ilustrações e escrita, a aprendizagem da direção da escrita e as formas corretas de manipulação de livros.

Nesse convívio com textos escritos, as crianças vão construindo hipóteses sobre a escrita que se revelam, inicialmente, em rabiscos e garatujas e, à medida que vão conhecendo letras, em escritas espontâneas, não convencionais, mas já indicativas da compreensão da escrita como sistema de representação da língua.

Ensino Fundamental Anos Iniciais

O incentivo à leitura com os alunos dos anos iniciais amplia a capacidade de contemplar o mundo e desenvolver o senso crítico para compreender o contexto no qual estarão inseridos ao longo de sua vida. A importância da leitura na escola, desde a mais tenra idade até a conclusão do ensino médio, influenciam direta e positivamente na construção de adultos proativos e engajados com a sociedade.

A leitura vai muito além de decodificar códigos, envolve sentido ao texto, interpretação e compreensão das histórias, textos que lê. Ela permite a ampliação do vocabulário sobre diversos temas, impulsiona a criatividade e a comunicação, colabora para a construção do senso crítico e aumenta as habilidades de interpretação e escrita.

É de fundamental importância para a construção e reconstrução do conhecimento de mundo. Sendo que a leitura de um texto faz o leitor criar, recriar, escrever, reescrever ou produzir outro texto, resultante das experiências e da interação social.

Além disso, a leitura auxilia no desenvolvimento da escrita, que é algo necessário e imprescindível, para a formação do leitor/escritor.

Os momentos de leitura devem ser proporcionados as crianças fazendo-as sentirem prazer a ler bons livros, livros esses que estimulem sua imaginação, as levem a criar, a se distraírem, a entrarem num mundo de fantasias, auxiliando no processo ensino-aprendizagem e no desenvolvimento cognitivo. Quem lê muito conversa sobre qualquer coisa, e consegue formar opiniões bem fundamentadas.

O trabalho com a leitura desenvolvido no Colégio favorece, além de todas as habilidades citadas, um momento de integração entre os alunos, mesmo que de forma on-line. O convite para o Festival foi feito por personagens eternos das histórias: Emília e Cuca, para colocar os alunos e seus familiares no clima da viagem através dos livros.

Os alunos dos quintos anos fizeram um troca de experiência de um ler um livro de sua preferência, fazer um resumo do mesmo e apresentaram utilizando as ferramentas tecnológicas. Os segundos anos permitiram que os sentimentos e as emoções fossem demonstrados através dos cartazes, com o trabalho com os Mini livros do Pequeno Príncipe. Já os terceiros associaram a tecnologia ao prazer de divulgar a leitura de diversos gêneros textuais.

Os alunos dos quartos anos transformaram as narrativas de aventura de um dos livros: Os três mosqueteiros, em jogos. Ler também é brincar! Ah, e os pequenos dos primeiros anos fizeram finais diferentes para o conto dos Três Porquinhos, além de recriar os cenários, apresentando maquetes lindas.

O Festival de Leitura proporcionou o trabalho interdisciplinar, movimentando o Programa Bilíngue com jogos e jingles. A Educação Física proporcionou brincadeiras associadas às leituras realizadas pelos alunos e a integração com a Educação Infantil.

A leitura foi o momento de fortalecer a construção do conhecimento dos alunos mediada pela equipe de professores e em parceria com as famílias.

Confira a abertura do programa: