Pardini diz que Botucatu não voltará às aulas enquanto não houver segurança

A cidade de Botucatu não voltará às aulas enquanto não houver segurança absoluta para ação. A informação foi dada pelo Prefeito de Botucatu, Mário Pardini, nesta quarta-feira, dia 19, através de nota ao Acontece Botucatu após envio desta demanda.

A Secretaria de Estado da Educação autorizou hoje a abertura gradual das escolas nas cidades que estão na fase amarela do Plano São Paulo em duas datas distintas. Porém, o governo deixou que os municípios tenham autonomia para decidir o momento exato de retornar com as atividades.

A partir do dia 8 de setembro, a retomada atenderia apenas alunos com mais dificuldade de aprendizado em atividades de reforço. A retomada efetiva, mas ainda gradual e restrita do calendário letivo, é prevista para 7 de outubro.

O Secretário de Educação do Estado, Rossieli Soares destacou que os prefeitos podem criar calendários próprios e planos mais restritivos, com base nos dados epidemiológicos regionais.

Questionado pela reportagem do Acontece Botucatu, o Prefeito Mário Pardini foi taxativo em dizer que não seguirá o calendário proposto pelo governo estadual.

“Não vou seguir o calendário proposto pelo Governo do Estado. Aqui não devemos voltar enquanto não tivermos absoluta certeza que nossas crianças estarão protegidas”, disse Pardini ao Acontece Botucatu.

A decisão municipal de diferir do calendário proposto pelo Estado valerá para todas as escolas. Ou seja, redes pública e privada deverão seguir o que for estipulado pelo município.

Calendário previsto

Para retomar atividades presenciais a partir de 8 de setembro, as escolas devem estar em regiões que estão há 28 dias na fase amarela do Plano São Paulo. As unidades podem receber alunos para aulas de reforço, recuperação e atividades opcionais.

Nesta primeira etapa, na educação infantil e nos anos iniciais do ensino fundamental, o limite máximo é de até 35% dos alunos em atividades presenciais. Para os anos finais do ensino fundamental e ensino médio, o limite máximo é de 20%.

O retorno oficial das aulas é previsto para 7 de outubro, o que só ocorrerá se 80% das regiões estiverem por 28 dias seguidos na fase amarela do Plano São Paulo. A retomada será gradual e, na primeira etapa, vai atingir até 35% dos alunos.