IB/Unesp forma mais 147 alunos em Botucatu

 

O Instituto de Biociências da Unesp, câmpus Botucatu, promoveu na noite da última sexta-feira (15), no ginásio poliesportivo da Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA), na Fazenda Lageado, a Colação de Grau de 147 alunos de graduação, divididos nas seguintes turmas: Ciências Biológicas – Licenciatura (turma XLIX); Ciências Biológicas – Bacharelado e Licenciatura (turma L); Ciências Biomédicas (turma L); Nutrição (turma XV); e Física Médica (turma XI).

A solenidade foi presidida pelo diretor do IB, Prof. Dr. César Martins, que esteve acompanhado na mesa de autoridades pelo vice-diretor do instituto, Prof. Adjunto Luiz Fernando Rolim de Almeida; secretário municipal de Educação e docente do IB, Prof. Valdir Paixão; diretor da FCA, Prof Dr. Carlos Frederico Wilcken; diretor da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ), Prof. Dr. Celso Antonio Rodrigues; diretor da Faculdade de Medicina (FMB), Prof. Dr. Pasqual Barretti; além dos coordenadores de curso, paraninfos e patronesses de cada turma.

Na abertura, o diretor César Martins saudou a presença dos familiares e amigos dos formando e enalteceu o importante papel dos pais na educação e todo investimento dado aos filhos nesta jornada acadêmica. Também em seu discurso, buscou provocar nos alunos (agora profissionais) o sentimento de que é preciso mais do que conhecimento técnico para fazer diferença junto à sociedade atual e gerações futuras.

“E o que fica agora? O nome numa placa, em um banco de dados da universidade? A maior habilidade da espécie humana é a comunicação. Por isso é necessário interagir, ser mais humano, fazer nosso trabalho com gana, paixão e contribuir para melhorar a vida da gente que vive ao nosso redor”, enfatiza o docente, que ainda citou uma frase de Albert Einstein: “Educação é aquilo que fica depois que você esquece o que a escola ensinou.”

Oradores

Na sequência, fizeram uso da palavra os alunos escolhidos como oradores de turma. De forma respeitosa, mas também irreverente, cada um deles buscou traduzir em palavras o que representou o período dentro da universidade. Sempre fazendo menção às amizades e aprendizados neste importante ciclo da vida.

“A licenciatura nos deu muito mais que uma profissão. Nos deu a oportunidade de aprender a nos colocar no lugar do próximo, sentir a sua dor como se fosse a nossa. Isso é empatia”, disse Samara Louzada Oliveira, da 49ª turma de Ciências Biológicas (Licenciatura – noturno).

“Mesmo que as pessoas tenham esquecido ou tenham perdido a conexão com o lindo significado da vida e da sua criação, nós biólogos temos a missão de lembrá-las e lutar pela vida e do bem-estar das futuras gerações”, enfatizou Paloma Campos Caldardo Brito, da 50ª turma de Ciências Biológicas (Bacharelado e Licenciatura – integral).

“Juntos tivemos aula no gramado, experimentamos água do Mar Morto, tiramos ‘trocentas’ dúvidas sobre como se formar, corremos contra o calendário e contra o relógio e agora estamos aqui: vencendo”, relembrou Giovana Cassone Salata, da 50ª turma de Ciências Biomédicas.

“Nós chegamos aqui inseguros, cheios de medo e ansiedade e estamos saindo do mesmo jeito. Mas esse final de semana é de alegria! É para esquecermos todos os nossos medos e nos divertirmos pela primeira vez, com o sentimento de que conseguimos”, falou Camila Pereira Sorroche, da 15ª turma de Nutrição.

“Estamos na iminência de um novo voo. O busquemos, então, com fé em novos horizontes. Não direi para que procurem a felicidade, como se fosse algo que se desembrulha com a mão. Desembrulhemos nossas emoções e sejamos livres, como pássaros”, discursou Paulo Zago Leonel, da 11ª turma de Física Médica.

Paraninfo e homenagens

Já o Prof. Dr. Vladimir Eliodoro Costa discursou em nome de todos os paraninfos dos cursos de graduação do Instituto de Biociências. Durante o uso da palavra, o docente fez referência ao uso indiscriminado de agroquímicos na produção de alimentos, o que consequentemente se torna um dos maiores desafios aos profissionais formados nas áreas de abrangência do IB. Também deixou mensagem para que todos tenham perseverança naquilo que fazem.

“Vocês podem se considerar privilegiados, pois estão se formando em uma das melhores universidades do Brasil e da América Latina. Mas vocês sabem que a jornada para a qualificação profissional não acaba aqui hoje. Pelo contrário, ela começa aqui. Tanto para aqueles que decidiram por fazer uma residência ou pós-graduação, quanto para aqueles que decidiram atuar profissionalmente. Por isso, continuem estudando e se mantendo atualizados na sua área de atuação para permanecerem no mercado de trabalho”, destacou.

Na sequência ocorreu o juramento de cada turma e a outorga de grau dos alunos, concedida pelo diretor César Martins. Também foram realizadas homenagens aos paraninfos, patronos (patronesses) e outros professores de cada turma. Outro ponto alto da cerimônia foi a entrega do diploma “Horácio Barros” em reconhecimento aos alunos com melhor aproveitamento em cada curso. Na oportunidade, os prêmios foram entregues pelo Prof. Augusto Cezar Montelli, do Rotary Club Botucatu. Ao fim do evento, as concluintes Marielli Fernanda Panelli e Paula Minghim Planas, ambas de Nutrição, ainda proferiram pronunciamento em homenagem aos pais.

4toques comunicação