Projeto Corredeira faz show em Botucatu em turnê virtual que canta sobre o Rio Tietê

Apresentação virtual contemplada pelo ProAC será feita por músicos de Campinas (SP) e celebra as águas doces de São Paulo

O Projeto Corredeira, idealizado pelo cantor e compositor campineiro Pedro Barsalini e realizado por um grupo de músicos da região de Campinas (SP), apresenta o show “Para o Rio Tietê” em Botucatu (SP) no dia 25 de novembro (4ª-feira), às 20h, nas redes sociais da Secretaria de Cultura da cidade. Idealizado para todos os gostos, idades e públicos, o repertório é inspirado no curso do Rio Tietê pelo Estado de São Paulo.

“O Tietê se faz presente no roteiro do show, que está relacionado com o percurso destas águas. O rio nasce limpo, depois fica sujo, gigante, e limpo novamente. Teremos este raciocínio dramatúrgico nas batidas e nas letras das canções”, explica Pedro Barsalini, idealizador do projeto, que se formou em canto popular na Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) em 2019.

Mais do que um simples show, “Para o Rio Tietê” chega com a missão de ser também uma apresentação documental. Além das canções, o espetáculo contém depoimentos de paulistas que conviveram com um Tietê saudável e trechos de memórias dos artistas da banda relacionadas às águas doces.

A exibição em Botucatu faz parte de uma turnê virtual que começou em 20 de outubro no Sesc Campinas. O Projeto Corredeira também tem apresentações marcadas em Birigui, Borborema, Pereira Barreto, Pirapora do Bom Jesus, Salto e Tietê, todas cidades paulistas banhadas pelo Rio Tietê.

O Projeto Corredeira é uma realização do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa.

Videoaulas

“Barulho Bom e Barato”

Como contrapartida dentro da realização deste projeto, concebido através de edital do ProAC, o Projeto Corredeira lançou também, em outubro, uma sessão com quatro videoaulas, intitulada “Barulho Bom e Barato”, com participação do próprio Pedro Barsalini e de Cris Monteiro, percussionista da banda. Nesta série de vídeos, a dupla ensina adultos e crianças a confeccionarem instrumentos musicais a partir de materiais recicláveis e de descarte.

“Pensamos nesta ação porque tem tudo a ver com a nossa proposta de show também. Falamos sobre um rio que é bem mais conhecido, infelizmente, pela sua poluição na capital. Pensamos em uma forma de contribuir para a diminuição da sujeira de uma maneira sustentável”, aponta Barsalini. As videoaulas estão disponíveis gratuitamente no canal de Barsalini no YouTube.

Referências musicais

“Teremos uma instrumentação já tradicional, consagrada na música popular, com um balanço, um suingue mais orgânico e genuíno, que mescla black, rock, ketu, e samba”, conta Barsalini, que cita os próprios pais como grandes referências na música. “Nasci em uma família de músicos e tive contato com nichos musicais muito diferentes a vida toda. Meu pai tocou em orquestra sinfônica, minha mãe em um parque de diversões e banda de baile black. Recebi influências muito diferentes e tive então a oportunidade de construir meus valores e identidade”.

Outra grande inspiração para a montagem do show “Para o Rio Tietê”, segundo Barsalini, é sua professora de graduação Regina Machado. Com ela, foi possível instaurar uma visão de espetáculo musical ao show – referência de uma artista preocupada com a estética e dramaturgia da produção. “Lembro que ela dizia que não tem nada mais chato do que ir a um show e ver uma música atrás da outra”, brinca o cantor.

Sensibilidade aflorada

Com músicas que cantam o trajeto do rio, a sensibilidade tanto de Barsalini, quanto dos outros músicos da banda marcou presença na composição do show. “Na minha maneira de trabalhar com arte, a sensibilidade passa pela interpretação de uma forma mais intuitiva. Isso aflora de forma mais natural, e os sentimentos acabam aparecendo nas minhas interpretações”.

Segundo o cantor, a forma com a qual escolheram trabalhar a ideia de percurso do Rio Tietê fica evidente também na criação dos arranjos. “Quando o rio está saudável, por exemplo, temos uma concepção mais alegre, feliz, com sons mais abertos. Com o rio sujo, vem um momento de canções introspectivas, que levam o público a entender a questão”.

Ancestralidade brasileira

Com um quê de saudosismo, “Para o Rio Tietê” fala sobre um rio que já foi muito mais “nadável, bebível e cheio de peixes”, como aponta o próprio Barsalini. O repertório faz referência a diversas musicalidades bastante presentes no ritmo brasileiro, como ijexá e samba, por exemplo. Em todo o repertório da apresentação, a marca que se faz presente é a da ancestralidade brasileira.

“O mais legal é pegar elementos que me agradam em cada estilo e juntar com o que já vivi um dia, como quando toquei rock, cantei em um trio vocal a cappella e toquei em uma banda de reggae. A gente só tem a perder quando tenta encaixotar as coisas… pluralidade é identidade”.

A participação de outros músicos da região de Campinas ajuda a “engrossar o caldo” da mescla de elementos musicais na apresentação. Entre os nomes estão o diretor musical Diogo Nazareth, Graciela Soares na voz e percussão, Theo Fraga no baixo, teclado por Carol Leão e bateria por Leandro Barsalini.

“Todos que participam deste projeto são grandes para mim. Somos sobreviventes de nossa própria história e cada um passa por suas dificuldades. Isso também é sobre resiliência, e nossas vidas têm tudo a ver com a história do Rio Tietê”.

Ficha Técnica – Projeto Corredeira

Show Para O Rio Tietê

Pedro Barsalini: Voz e Violão

Graciela Soares: Voz e percussão

Theo Fraga: Baixo

Carol Leão: Teclas

Cris Monteiro: Percussão

Leandro Barsalini: Bateria

WZA Zirikito: Captação e técnica de som

Henrique Manchuria: Mixagem e Masterização

Batuq Produções: Filmagem e edição

Diogo Nazareth: Diretor musical

Equipe Projeto Corredeira

Bruna Schroeder: Direção de Produção

Victor Ferrari: Coordenação de Comunicação e Social Media

Miguel Von Zuben: Assessoria de Imprensa

Babi Ghirello: Identidade Visual e Design Gráfico

Gabi Zanardi: Ensaio Fotográfico

Sofia Fransolin: Assistência de Produção

Vini Silveira: Assistência de Produção

Maria Luiza de Andrade Benini: Pesquisa

Videoaulas “Barulho Bom e Barato”

Pedro Barsalini: Oficineiro

Cris Monteiro: Oficineiro

Nina Pires: Filmagem e edição

Serviço

#projetocorredeira

Show – Para o Rio Tietê

Quando: quarta-feira, 25 de novembro, 20h

Onde: Redes sociais da Secretaria de Cultura de Botucatu

Quanto: grátis