Museu do Café traz obras de artista paulistano pela primeira vez para Botucatu

Dando prosseguimento ao projeto “Lageado é Arte” o Museu traz para Botucatu, pela primeira vez, trabalhos do artista plástico Claudio Cristiano. São 18 telas com técnica de new pop art e pintura mista, com tinta acrílica e óleo. Seus trabalhos abordam cavalos, abstratos, nú artístico, retratos e figurativos. Cláudio abusa da beleza das cores vivas o que encanta o apreciador. Claudio nasceu em Goiana, Pernambuco e desde cedo já demonstrava paixão pela arte. Atualmente reside na capital paulista. Suas obras permanecerão no Museu até o dia 28 de fevereiro. O funcionamento do Museu é de segunda a sexta e feriados das 8 às 17 horas. Nos sábados e domingos o funcionamento é das 12 às 18 horas.

Resultado das Exposições

Dia 19 encerramos a mostra do trabalho desenvolvido pelos alunos do Centro de Educação Infantil Profa. Roseli Leite Alves, localizado no Jardim Sta. Elisa. A mostra foi a primeira do novo projeto “Um novo olhar” e recebeu 3.738 visitantes. O Coordenador do Núcleo agradece a Coordenadora do Centro, Profa. Alethea pelo apoio a iniciativa e aos alunos pela participação. Outras mostras desse tipo virão. Já no ultimo dia 31 encerramos a mostra de fotografias “Um Olhar Diferente” com trabalhos de Manoel Pinto Cunha. A  mostra que se encerraria dia 15 foi prorrogada e foi apreciada por 3.132 visitantes. O Coordenador agradece Manoel pela gentileza em abrir seu acervo pessoal para conhecimento dos nossos visitantes. Mais duas mostras que agregaram muito ao Museu do Café.  

Registro de marca

Em 2006 quando do inicio dos trabalhos voltados à área histórica, juntamente com o arquiteto Guilherme Michelin, e a equipe da TWA – Comunicação Visual, comandada pelo Alessandro Winckler, foi desenvolvido o trabalho de escolha da logomarca que iria, a partir daquele momento, representar a área histórica da Fazenda Lageado e por conseqüência o Museu do Café. Durante esses 10 anos, foram feitos diversos investimento junto à mídia (rádio, jornal, televisão, revistas, papelaria, e mídia eletrônica) e junto aos nossos parceiros objetivando ampliar a visibilidade e agregar valor a essa marca. Importante lembrar que a marca representa o portal de entrada do prédio da tulha com o pontilhão tradicional. Ocorre que, como toda marca, chegaria um momento que deveria ocorre o processo de registro.

Assim, em 2014 o Coordenador do Núcleo, servidor José Eduardo Candeias, representando os demais envolvidos, tomou a iniciativa de dar inicio a esse processo. A colaboração do escritório de advocacia Kaimoti Pinto, Calsolari & Telles, dos advogados Jorge Luiz Batista Kaimoti Pinto, João Antonio Calsolari Portes e Leandro Telles foi fundamental. O escritório é especializado, entre outras áreas, na de registro de marcas e patentes. Assim, no ultimo dia 24 de janeiro foi publicado o deferimento do pedido de registro. Dessa forma, a partir de agora, a marca não poderá mais ser utilizada para outra finalidade no seu todo, ou em partes, em qualquer parte do território nacional.

Isso é extremamente importante para garantir a perpetuação da marca que quando foi criada, tinha exatamente esse objetivo, representar o trabalho desenvolvido junto a área histórica da Fazenda Lageado. O Coordenador do Núcleo registra o agradecimento ao arquiteto Guilherme Michelin, a Alessandro Winckler e a empresa TWA – Comunicação Visual e em especial aos advogados do escritório Kaimoti Pinto, Calsolari & Telles por essa importante conquista.

Números

O Museu abriu o ano de 2017 recebendo em janeiro 2.380 visitantes. Já o número total de visitantes desde janeiro de 2006 atingiu a marca de 210.038 pessoas. Agora é continuar mantendo o padrão de atendimento aos nossos visitantes, uma das marcas do Museu do Café da Fazenda Lageado.