Museu do Café abre novo espaço e expõe ferramentas de marcenaria

Com a abertura da nova sala do projeto ‘ Arqueologia no Campus’, o antigo espaço já foi ocupado. Buscando oferecer novos atrativos aos milhares de visitantes, o local passou a expor diversos objetos e ferramentas utilizadas por marceneiros. Um dos objetos que chama atenção dos visitantes é um baú em madeira com diversas ferramentas que pertenceram a um dos mais importantes marceneiros da “Estação Experimental de Botucatu”, Ricardo Pelícia.

Ricardo foi responsável pela confecção de diversos objetos, sendo que dois deles podem ser apreciados durante a visita. Um quadro do Grupo Escolar Lageado que apresenta as fotos dos alunos que concluíram o primário no ano de 1962, e um quadro com a planta original das Fazendas Lageado e Edgardia. Ambos foram confeccionados utilizando pés de café, como forma de manter a originalidade do local, afinal a Estação Experimental de Botucatu foi implantada inicialmente para desenvolver pesquisas com essa cultura. A sala ainda expõe dois exemplares de “traçador”, serrote de grande porte utilizado por duas pessoas para o corte de toras de madeira.

Também chama atenção um arco de pua, antiga furadeira que era manuseada manualmente. Para completar o visitante pode conhecer também uma serra elétrica, fabricada na Alemanha, pesando 17 kg. Esse equipamento foi o precursor das atuais motoserras, Esse novo espaço é a forma que o Museu encontrou para reconhecer o importante trabalho desempenhado por marceneiros através de sua arte, criatividade e capacidade profissional. Alguns prédios localizados na área histórica da Fazenda Lageado possuem verdadeiras “obras de arte” em suas estruturas de telhado, forro, porão e outras, que, por si só justificam esse reconhecimento.

Visitantes

O Museu tem recebido, com bastante frequência, visitantes estrangeiros. No ultimo dia 9 o Museu recebeu três visitantes estrangeiros. Um natural da Croácia, outro da Alemanha e uma da Sérvia. Juntos foram acompanhados pelo mediador que apresentou aos visitantes todos os itens do acervo do Museu. Demonstrando bastante interesse nas explicações, ao final da visita, após apreciarem o Café Tesouro, fizeram questão de gentilmente elogiar o trabalho desenvolvido pelo Museu e, em especial, a dedicação e profissionalismo do mediador que acompanhou o grupo.

COMUTUR

O Coordenador do Núcleo, José Eduardo é representante da Unesp junto ao Conselho Municipal de Turismo – COMUTUR de Botucatu. O Conselho é órgão consultivo e deliberativo de assessoramento ao Prefeito Municipal e é composto por representantes de diversos segmentos envolvidos com as atividades turísticas do Município. O COMUTUR vem propondo diversas ações voltadas ao desenvolvimento do turismo, sempre com a preocupação ambiental e com retorno econômico viável. Na ultima reunião o Coordenador do Núcleo foi convidado pelo Presidente do COMUTUR para fazer uma exposição sobre as ações desenvolvidas ao longo desses últimos 10 anos.

A apresentação mostrou aos conselheiros os principais projetos associados e também a importância do trabalho para a cidade de Botucatu e região, como forma de preservar a histórica, divulgar a cultura e estimular o turismo. Os conselheiros elogiaram o trabalho e deixaram clara a necessidade de apoio a iniciativas como as que estão sendo conduzidas junto ao Museu do Café e a área histórica da Fazenda Lageado. O Coordenador agradece a oportunidade.

Ingressantes

A exemplo de anos anteriores, hoje o Museu recebeu a visita dos novos alunos dos cursos de Engenharia Agronômica, Engenharia Florestal e Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia. A visita foi realizada por três grupos acompanhados por docentes e membros do Diretório Acadêmico. O Coordenador do Núcleo, José Eduardo recebeu os visitantes e fez rápida exposição sobre as Fazenda Lageado e Edgardia e sobre o Museu.. Em seguida os alunos puderam conhecer o acervo do Museu e saborear o delicioso Café Tesouro.