Documentário sobre fotógrafo botucatuense concorre a prêmio internacional

O documentário “You´re not a soldier” (“Você não é um soldado”, em tradução livre), que conta a história do fotógrafo de guerra André Liohn, nascido em Botucatu, foi selecionado para o Hot DocsFilm Festival, considerado o maior evento de documentários da América do Norte e um dos mais importantes do mundo.

Liohn é bastante conhecido no meio jornalístico internacional. Dentre outros prêmios, tornou-se o primeiro fotojornalista latino-americano a receber o prestigiado Robert Capa Gold Medal, por seu trabalho sobre a guerra civil da Líbia. O filme também traz a participação dos músicos botucatuenses Karoline Violeira e Osni Ribeiro na trilha sonora, assinada pelo premiado músico e produtor Ruben Feffer, também produtor executivo do documentário e sócio da EloCompany, empresa que produziu o filme. Karoline gravou na viola caipira, no Estúdio Abacateiro, em Botucatu, um tema composto por Feffer. Osni Ribeiro dirigiu e produziu a gravação. A trilha gravada pelos músicos botucatuenses ilustra a cena final do filme.

Feffer explica o convite aos músicos botucatuenses. “Em certo momento do filme, há uma cena muito poética, com o André caminhando pelas montanhas da serra de Botucatu, sua terra natal. Para esse momento pensei em utilizar uma viola caipira na trilha. Busquei o Instituto Jatobás para que me indicassem uma pessoa da região que tocasse viola e pudesse fazer uma participação. Eles me apresentaram a Karoline Violeira e deu muito certo. A cena ficou linda”.

Karoline encarou o desafio, gostou da experiência e diz estar muito orgulhosa pelo sucesso do filme. “Quando fui convidada pelo pessoal do Instituto Jatobás fiquei um pouco assustada com a missão. O Ruben Feffer me passou uma partitura e eu fui treinando para conseguir fazer o que ele pediu. Era uma empreitada bem diferente do que estou acostumada a fazer. No estúdio foi um grande aprendizado, o Osni Ribeiro produziu a gravação, me deu várias dicas e me acalmou porque eu estava bem nervosa”, comenta.

Atualmente, dedicando a maior parte de seu tempo a cuidar da filha Anahi, de três meses de idade, Karoline ressalta a satisfação por participar do projeto. “Estou muito feliz que o filme esteja tendo esse reconhecimento. Nunca poderia imaginar que a minha violinha simplesinha aqui do sítio iriachegar tão longe, num filme de sucesso internacional. É uma coisa que quero contar para minha filha e, no futuro, para meus netos”. A violeira ainda não assistiu o filme, mas já viu a cena em que sua música aparece e concorda com Ruben Feffer: “É linda”.

O Instituto Jatobás atua há mais de 15 anos no município de Pardinho e agora, está expandindo sua atuação para a região da Cuesta Paulista, com base no conceito e na prática de desenvolvimento local sustentável, o que inclui parcerias com organizações da sociedade civil, poder público e empresas, além do apoio a empreendedores, produtores culturais e artistas locais. A indicação de Karoline Violeira para participar do filme é mais uma das ações do Instituto Jatobás em estímulo aos talentos e empreendedorismo cultural e criativo da região. “O Hot Docs é um dos festivais de documentários mais importantes do mundo”, enfatiza Feffer.“Dessa forma, o filme vai trazer uma visibilidade para os artistas da região e para o Instituto Jatobás”.

Sempre realizado na cidade de Toronto, o Hot Docs está em sua 28ª edição. Neste ano, a programação on-line terá a estreia de documentários em transmissão por streaming, eventos ao vivo e outros conteúdos, de 29 de abril a 9 de maio.

Sobre “You´re not a soldier”

O filme parte da relação da diretora Maria Carolina Telles com seu pai, um soldado dedicado que se sentia atraído pelas complexidades da guerra. Na tentativa de entender o que motivou o desejo de seu pai de estar na linha de frente, Telles mergulha na história do fotógrafo de guerra André Liohn. Como o pai de Telles, André era um homem que lutava contra sua própria dor interna, muitas vezes optando por mergulhar em algumas das zonas de conflito mais notórias do mundo. Liohn testemunha a morte de companheiros de trabalho e começa a questionar os motivos para se colocar em tal perigo, expondo as veias abertas do jornalismo e a luta universal para superar a dor do luto e a verdade inexorável da morte.

Saiba mais sobre o Hot DocsFilm Festival em: https://www.hotdocs.ca/