Caldas pede exoneração e não é mais o Secretário de Cultura

Fotos Arquivo Acontece Botucatu 

Caldas com Pardini ao fundo durante anuncio dos Secretários em dezembro de 2016

O Professor Antônio Luiz Caldas Júnior não é mais o Secretário Municipal de Cultura. O fato foi informado no site da Prefeitura na tarde desta terça-feira, 19. Oficialmente falando, por razões de ordem pessoal, colocou seu cargo à disposição do Executivo.

A exoneração, que se efetivou no último dia 11, seria anunciada na quarta-feira, dia 20, mas foi antecipada. O Prefeito Mário Pardini pediu que o mesmo permanecesse por mais um tempo na pasta, mas não foi possível.

Em sua carta endereçada ao Prefeito e publicada no site da Prefeitura, Caldas agradeceu pela oportunidade de exercer o cargo público. Confira o texto na íntegra:

“Conforme entendimentos pessoais mantidos, em decisão de caráter absolutamente pessoal, decorrente de fatos que nos  são impostos, alheios e longe de nossas vontades e compromissos, venho colocar à disposição de Vossa Excelência o cargo de Secretário Municipal de Cultura, que vinha ocupando desde fevereiro de 2017.

Nesta oportunidade agradeço por todo apoio que recebi de Vossa Excelência, da equipe de governo e servidores municipais, esperando ter correspondido às expectativas em mim depositadas e aos anseios e necessidades culturais do povo de Botucatu.

Registro aqui homenagem e reconhecimento especial a TODOS da Secretaria Municipal de Cultura, sejam dos quadros municipais, terceirizados, estagiários, educadores contratados e parceiros, por serem os verdadeiros responsáveis pelo que de bom tenha se passado neste período. Sem mais, renovo minhas saudações e gratidão”, diz a carta.

Bastidores de sua saída

Caldas anuncia em carta seu desligamento da Secretaria de Cultura

Nos corredores da Prefeitura corre a informação de que a situação teria ficado insustentável nos últimos meses. Em agosto o Ministério Público apontou que o Secretário de Cultura recebeu vencimentos como Vice-Prefeito e Professor da Unesp ao mesmo tempo, durante as administrações João Cury (2009-2012 e 2013-2016). Haveria, portanto, a necessidade de desincompatibilização dos cargos. Hoje Caldas está aposentado da Universidade e teoricamente isso não seria um problema.

O Acontece Botucatu apurou que há muitas lamentações entre os funcionários da Secretária de Cultura com a saída de Caldas. Era notório que Caldas realizava um bom trabalho, revolucionando inúmeros itens ao longo desse ano na pasta. “É uma pena, estava dando tudo muito certo”, disse ’em off’ uma funcionária da Secretaria de Cultura.

Professor Caldas já havia exercido outros cargos públicos nas últimas décadas. Além de Secretário de Cultura, Caldas foi presidente da Câmara dos Vereadores, vereador por dois mandatos ( 2001 a 2004 e 2005 a 2008), Secretário de Saúde e Vice-prefeito no Município

Ainda não há uma definição por parte da Prefeitura de quem ocuparia a vaga. Tradicionalmente, desde os tempos da Administração Mário Ielo, passando pelos 8 anos do governo João Cury, a pasta da Cultura era ocupada por integrantes do PC do B. O Acontece acompanha o caso.