… “SE NÃO FOSSE A MULHER “MIMOSA FLOR” A HISTÓRIA SERIA MENTIROSA”…

Então prezado leitor, “ói nóis aqui trá veis” (como diz a música dos fantásticos “DEMÔNIOS DA GAROA”), contando um “causo” pra lá de especial. Pelo décimo terceiro ano consecutivo, neste dia 8 de março – data em que se comemora o DIA INTERNACIONAL DA MULHER em todo o planeta – faço questão de ocupar este valioso espaço, para também prestar a minha homenagem a essas riquezas que fazem toda a diferença em nossas vidas.

Como admirador incondicional dessas joias raras, pois, tenho absoluta certeza, que vim ao mundo para viver ao lado delas, tanto que, além da minha saudosa mãe Dona Tereza de Almeida (pena que não curti as minhas vovós) que, quando foi ao encontro do Senhor, deixou um vazio enorme em meu coração, ELE, o Todo Poderoso, colocou no meu caminho uma senhora mulher (Rose Destro de Almeida) com quem divido alegrias e tristezas, há mais de 50 anos, três filhas maravilhosas (Flávia Cristina, Fernanda Carla e Franceli Carolina), duas netinhas (Ana Clara e Luna Carolina), duas irmãs (Odila e Maria Aparecida), um “punhado” de sobrinhas, cunhadas, tias e primas, que também chacoalharam o meu coração, e um “montão” de amigas especiais; e também por ser apaixonado por belas letras musicais, de novo, volto a utilizar o trecho de uma bela canção dos poetas da MPB, Olavo Batista e Zé Ramalho, maravilhosamente bem interpretada pela cantora Amelinha e muito tocada em todas as emissoras de rádio do país, no final da década de 70 (“Mulher nova, bonita e carinhosa, faz um homem gemer sem sentir dor… SE NÃO FOSSE A MULHER, MIMOSA FLOR, A HISTÓRIA SERIA MENTIROSA”…) para, em forma de abraço, festejar tão importante data com todas as musas existentes no mundo, em especial as minhas duas princesas (minhas netinhas, foto acima) que ilustraram esta minha homenagem.

Essa maravilha de melodia se encaixa perfeitamente em tudo o que lembra a MULHER; ela retrata a história de vida de um homem violento (Virgulino Ferreira, o Lampião), “dono” incondicional do sertão nordestino e possuidor de um coração repleto de crueldade, mas que se rendeu aos caprichos de uma linda e sedutora mulher (MARIA BONITA). Aliás, é muito lamentável que alguns compositores deste “mundinho moderno” não utilizam a beleza e os mistérios femininos nas suas inspirações. Hoje, infelizmente, eles preferem “fazer” músicas banais, do tipo, caneta azul e outras barbaridades. Porém, a mulher, queiram eles ou não, jamais deixará de ser delicada como uma “mimosa flor”! Compositor de verdade se inspira no encanto e no charme feminino para compor as suas músicas.

Parabéns, pelo seu dia, mulher. Que ELE, o nosso PAI, esteja ao lado seu durante todo este dia festivo e, mais ainda, que ELE também dê um basta neste inescrupuloso e absurdo aumento de maus tratos às mulheres que vem ocorrendo em todos os cantos deste Brasil cheinho de picaretas (intitulados de homens), para mim, canalhas da pior espécie.

Com a ajuda DELE e a competência do Doutor Sérgio Moro, digno Ministro da Justiça deste BRASIL NOVO, essas aberrações, com certeza, irão diminuir.

Por fim, quero abraçar duas riquezas deste mundão feminino que aniversariam no dia de hoje: a sempre guerreira Ondina Silvia Cotrin, o símbolo da Solidariedade do Distrito de Vitoriana, e a minha colega de trabalho de tempos idos, no Departamento de Saúde Pública, Silvinha “Pituka” Estevan. Desejo também tudo de bom a outra preciosidade aqui da terrinha que preside o Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher, a Doutora Maria Flávia Maiello Ferreira, mamãe do garotinho Bebeco e esposa do meu amigos Doutor José Roberto Pereira.

Rubens de Almeida – Alemão/alemao.famesp@gmail.com