NOSSA CIDADE É, DE FATO, A CAPITAL DA SOLIDARIEDADE!

Prezado leitor, todos nós sabemos que estamos neste mundo a mercê das vontades de Deus, o Criador de todo o Universo, no entanto, essa realidade parece não ser levada a sério por muita gente que, sequer consegue dispensar um abraço a quem dele necessita em determinados momentos.

Graças a Deus, aqui neste hospitaleiro município, que tem o carinhoso slogan “CIDADE DOS BONS ARES E DAS BOAS ESCOLAS”, “navegamos de braçada” em um mundo muitíssimo especial, ou seja, no MUNDO DA SOLIDARIEDADE, mesmo porque, a nossa gente não pensa duas vezes, quando o assunto é abraçar o próximo.

A maior prova do que estou “falando” ocorreu na semana que passou, ou melhor, desde a madrugada da última segunda feira (10/02) quando a natureza, de maneira arrebatadora, se “revoltou” conosco e castigou grande parte da nossa cidade, que, se não bastasse a agonia de ver um temporal que durou horas, ainda viu todos os seus pertences (principalmente móveis) serem levados pela força das águas. Um fenômeno que também arrebentou várias pontes, em diversos bairros da cidade. Foi tudo muito triste. Cenas de desespero ocorreram aqui, ali e acolá, em especial, nas áreas que margeiam os rios que cortam a municipalidade.

Pois bem, a generosidade da nossa gente, começou a ser demonstrada pelo próprio Prefeito Mário Pardini Afonseca, ainda naquela madrugada – por sinal, uma atitude que deveria servir de exemplo para todas as cidades, quando essas catástrofes acontecem – e, de lá “pra” cá, esses abraços de solidariedade, “prato predileto” de todos os “botucudos”, continuam a todo vapor, inclusive, fato que chamou a atenção de diversos veículos de comunicação de todo o país que, utilizam em suas grades de informação, como prioridade, mostrar a generosidade do povo de uma cidade que precisa ser reconstruída.

Como muita gente sabe, tenho um compromisso com a nossa querida e amada Associação Atlética Ferroviária, um dos três clubes, sócio/esportivos, aqui da terrinha, onde estou Presidente. Lá na “baixada” as águas também “rolaram forte”. Fomos muito punidos, pois o rio que margeia grande parte do nosso patrimônio esportivo, transbordou e invadiu toda a parte baixa do clube, principalmente o conjunto de piscinas, a piscina térmica, sauna e as nossas secretarias; perdemos quase tudo, porém, com as graças DELE, o nosso PAI, não tivemos vítimas. Aliás, não tenho dúvidas de que as lágrimas que derramamos naquela manhã (eu e o grande João Chavari) se transformarão em bênçãos que nos ajudarão na reconstrução de tudo o que foi destruído por lá.

Igualzinho o que vem acontecendo com as pessoas que perderam tudo nesta terrível enchente, “nóis” aqui do “Tricolor Botucatuense” também estamos recebendo apoio de muita gente, principalmente dos nossos associados; porém uma manifestação que nos animou sobremaneira veio lá dos altos da Avenida Dom Lúcio. Acredite! Nosso “clube irmão”, a gloriosa Associação Atlética Botucatuense, na pessoa do seu Presidente Jânio Gonçalves, bem como de toda a sua diretoria, simplesmente enviou os seus profissionais de manutenção na área das piscinas da “veterana” para nos ajudar na recuperação das nossas.

Isso não tem preço. Obrigado queridos amigos diretores dessa maravilhosa agremiação. Nossos sócios, certamente tomarão conhecimento desse ato de grandeza e solidariedade a nós dispensado. Então, caro Presidente Jânio, veja como é a vida. Você numa dessas “prosas” de amigos, dias atrás, me intitulou como “Patrimônio de Botucatu”. Pois bem, que título pode ser ofertado a quem, num mundo repleto de rivalidades, especialmente, entre as agremiações sociais e esportivas, tem a ousadia de oferecer ajuda, da maneira como vocês nos ofereceram? Glória!

Foto Acontece Botucatu

Voltando a “falar” da cidade, quero deixar registrada a minha admiração por todos os colegas da mídia botucatuense (emissoras de rádio, jornais eletrônicos e demais veículos de informação) que estão tendo um papel de suma importância no chamamento dos munícipes que queiram fazer suas doações para as famílias que foram lesadas por esse fenômeno da natureza. Às forças de segurança (Policia Militar, Polícia Civil e a Guarda Municipal) e, principalmente a Defesa Civil – por sinal, muitíssimo bem comandada pelo “menino” Lucas Trombaco – a gratidão de um cidadão simples, mas que adora ver uma prestação de serviços ao público ser bem dispensada. À Secretaria de Assistência Social do Município, comandada pela competente Assistente Social Silvia Fumis, bem como, a toda a sua equipe e também à queridíssima Dona Pida, Presidente do Fundo Social de Solidariedade do Município, a minha mais profunda consideração.

Como deixar de enaltecer a força dos clubes de serviços da terrinha (Rotarys, Lions e Maçonaria), nessa empreitada? Todos, indistintamente estão abraçados e com a mesma determinação. Também vi algumas escolas da cidade “correndo atrás” de motivar os seus alunos nessa “corrente do bem”.  Os Colégios Anglo, “largaram na frente”.  Parabéns a todos!

Por fim, preciso (e muito) reconhecer o comprometimento que uma prestadora de serviços ao público tem com os seus usuários: a SABESP – Companhia de Saneamento básico do Estado de São Paulo. Mesmo com todos os estragos causados pelo temporal (não foram poucos), a sociedade não ficou sem água na torneira. Os seus profissionais trabalharam quase que ininterruptamente todos esses dias, para não deixarem a nossa gente sem água. Meus cumprimentos ao Superintendente Mauricio Tapia, sucessor do meu amigo Mario Pardini e a todos os seus funcionários, graças a Deus, um “punhado” deles, meus amigos.

Vamos juntos SIM, recuperar a nossa bela, hospitaleira e solidária Botucatu, muito bem governada pelo nosso querido Prefeito Mario Pardini. NOSSA CIDADE É, DE FATO, A CAPITAL NACIONAL DA SOLIDARIEDADE!

Rubens de Almeida – Alemão/alemao.famesp@gmail.com